Domingo, 21 de Agosto de 2005

O Esperanto


O Esperanto é a mais falada das línguas artificiais.

O oftalmologista e filólogo Dr. Ludwik Lejzer ( Ludovic Lazarus ) Zamenhof (15 de Dezembro 1859 - 14 de Abril 1917)  é o criador da língua internacional Esperanto.  L. L. Zamenhof  completou a versão inicial em 1887. A sua intenção era criar uma língua de muito fácil aprendizagem, que servisse como "segunda" língua universal para toda a população mundial (e não, como muitos supõem, para substituir todas as línguas existentes).
O Esperanto é uma
linguagem aglutinante, sem géneros gramaticais, sem conjugação de verbos variáveis por pessoa ou número e com apenas dois modos, indicativo e imperativo. O vocabulário é baseado em várias línguas europeias, principalmente no inglês, no alemão e nas línguas românicas, com algumas palavras das línguas eslavas, do latim e do grego - mas a sua lógica vem do hebraico.
A escrita é fonética e a
morfologia é extremamente regular e fácil de aprender.

O Esperanto tem demonstrado ser de aprendizagem mais fácil que qualquer uma das línguas naturais (e, claro, mais fácil de aprender que línguas muito irregulares e/ou não fonéticas como o inglês, o francês ou o chinês). Existem evidências de que estudar Esperanto antes de estudar qualquer outra língua acelera e melhora a aprendizagem, porque aprender outras línguas estrangeiras a seguir é mais fácil que aprender a primeira, enquanto que o Esperanto reduz os obstáculos associados com a "primeira língua estrangeira". Num estudo, um grupo de estudantes do ensino secundário estudou Esperanto durante 6 meses e, depois, francês durante ano e meio, obtendo um melhor conhecimento de francês do que o grupo de controle que estudou só o francês durante dois anos.

Aproximadamente 1,6 milhão de pessoas falavam Esperanto em 2000 (ao nível 3 definido pelo Serviço de Estrangeiros dos EUA).

Existe outra língua, Ido, que é baseada no Esperanto, que se tornou popular no início do século XX e da qual ainda restam cultores hoje.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um simples exemplo:

Português:  O vento é o movimento do ar.

Esperanto:  La vento estas movado de la aero.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:15
Link do post | comentar
4 comentários:
De Anónimo a 22 de Agosto de 2005 às 13:47
chu vi fartas bone??
Vô-Zé
</a>
(mailto:martins-ze@sapo.pt)


De Adrián Pastrana a 22 de Janeiro de 2007 às 14:03
La lingua Ido:

Por qué Ido?: http://es.geocities.com/kanaria1973/porqueidopt.html

Gramática: http://marsjomm.vilabol.uol.com.br/home/ido/gramatica/indice.html

Dicionarios:

http://ww.vortari.tk

Publicaciones:

http://www.publikaji.tk

Wikipedia en Ido:

http://io.wikipedia.org/wiki/Frontispico

Danko e saluti kordiala!
Adrián Pastrana






De Praia da Claridade a 22 de Janeiro de 2007 às 18:40
Agradeço esta visita ao meu blog http://topazio1950.blogs.sapo.pt/ , ao tema "Esperanto" ( http://topazio1950.blogs.sapo.pt/73623.html ) especialmente pelas indicações de La lingua IDO.
Saluti !


De Anónimo a 23 de Janeiro de 2007 às 18:34
Apenas algumas correcções:

(1) Zamenhof não se chamava Ludovic Lazarus " e não era "filólogo".

(2) Em 1887 foi apresentada não a "versão inicial" mas sim a versão final do esperanto, após um longo período de gestação (1876-1887).

(3) O esperanto não é uma "linguagem" mas uma língua.

(4) O esperanto não tem dois modos, mas três: indicativo, volitivo e condicional.

(5) É incorrecto dizer que a "lógica" do esperanto provém do hebraico...

Gonçalo Neves


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags