Domingo, 5 de Março de 2006

O Sonho

O sonho é uma experiência de imaginação do inconsciente durante o nosso período de sono. Recentemente, descobriu-se que até os bebés no útero têm sono REM (movimentos rápidos do olhos) e sonham, não se sabe com o quê. Em diversas tradições culturais e na Bíblia Sagrada, o sonho aparece revestido de poderes premonitórios. José, o sonhador, é a figura que dá maior destaque ao sonho na Bíblia.

Mas foi em 1900, com a publicação de Interpretação de Sonhos, que Sigmund Freud (1856-1939) deu um carácter científico à matéria. Naquele polémico livro, Freud aproveita o que já havia sido publicado anteriormente e faz investidas completamente novas, definindo o conteúdo do sonho como “realização dos desejos”. Para o pai da psicanálise, no enredo onírico há o sentido manifesto (a fachada) e o sentido latente (o significado), este último realmente importante. A fachada seria um despiste do super-ego (o sensor da psique, que escolhe o que se torna consciente ou não dos conteúdos inconscientes), enquanto o sentido latente, por meio da interpretação simbólica, revelaria o desejo do sonhador por trás dos aparentes absurdos da narrativa.

Carl Jung (1875-1961), que leu a Interpretação dos Sonhos e ficou bastante entusiasmado com o assunto, tornou mais abrangente o papel dos sonhos, que não seriam apenas reveladores de desejos ocultos, mas, sim, uma ferramenta da psique que busca o equilíbrio por meio da compensação. Ou seja, alguém masculinizado pode sonhar com figuras femininas que tentam demonstrar ao sonhador a necessidade de uma mudança de atitude. Na busca pelo equilíbrio, personagens arquetípicas interagem nos sonhos num conflito que buscam levar ao consciente conteúdos do inconsciente. Entre essas personagens, estão a anima (força feminina na psique dos homens), o animus (força masculina na psique das mulheres) e a sombra (força que se alimenta dos aspectos não aceites de nossa personalidade). Esta última, nos sonhos, são os vilões. Um aspecto muito importante em se atentar nos sonhos, segundo a linha junguiana, é saber como o sonhador, o protagonista no sonho (que representa o ego) lida com as forças malignas (a sombra), para se averiguar como, na vida desperta, a pessoa lida com as adversidades, a autoridade e a oposição de ideias. Jung aponta os sonhos como forças naturais que auxiliam o ser humano no processo de individuação (acto ou efeito de individuar).

Ao contrário de Freud, as situações absurdas dos sonhos, para Jung, não seriam uma fachada, mas a forma própria do inconsciente de se expressar. Para o mestre suíço, há os sonhos comuns e os arquetípicos, revestidos de grande poder revelador para quem sonha. A interpretação de sonhos é uma ferramenta crucial para a psicologia analítica, desenvolvida por Jung.

Há, claro, outras correntes, que vêem o sonho de modo diverso. Os neuro-cientistas, de modo geral, afirmam que o sonho é apenas uma espécie de tráfego de informação sem sentido que tem por função manter o cérebro em ordem. Essa teoria só não explica como esses enredos supostamente desconexos são responsáveis por grandes insigths, como em Thomas Edson, por exemplo. Edson, que estava a desenvolver o fonógrafo e dormia muito pouco. Certa vez sonhou com a manivela, finalizando o seu projecto em 1877. O beatle Paul McCartney sonhou com uma melodia, acordou, foi para o piano e compôs “Yesterday”, um dos maiores clássicos de todos os tempos. Há muitos outros casos de sonhos reveladores em várias áreas da ciência e da arte. O que não impede que os sonhos sirvam também para recuperar a saúde do organismo e do cérebro.

Já sobre os polémicos sonhos premonitórios, Jung observa que o inconsciente, bem mais antigo que a consciência, tem os seus próprios meios de interpretar a realidade e, muitas vezes, algo que ainda se vai tornar consciente já existe inconscientemente. Os sonhos, portanto, às vezes “vazam” a informação para a consciência, o que dá a impressão de ter havido uma antevisão. A ciência discute cada vez mais seriamente a questão do espaço-tempo e o rompimento das dimensões. Não se sabe se, através do sonho, é possível ter acesso a conteúdos de um outro espaço temporário.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
Publicado por: Praia da Claridade às 00:05
Link do post | comentar
9 comentários:
De Anónimo a 6 de Março de 2006 às 02:31
Olá Filipe.. mais uma vez :)... Queria pedir-te que desses um saltinho a este site: http://laystest.blogs.sapo.pt (não sou a sua autora), mas penso que poderá ajudar... Tentemos juntos demonstrar a quem de direito, que ficamos desiludidos com a situação!! Um beijinho!!Angel Eyes
(http://www.asasdoolhar.blogs.sapo.pt)
(mailto:asasdoolhar@sapo.pt)


De Anónimo a 5 de Março de 2006 às 19:32
Eu hoje tenho sonhado que não gosto nada de migar muito menos quando me obrigam.
Belo artigo dum tema que a todos fascina.Veremos o que acontece quando acordamos no SAPOBeTA
Abraçojoão
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:mjoaojara@sapo.pt)


De Anónimo a 5 de Março de 2006 às 16:45
É um assunto fascinante este dos sonhos. Há muitas teorias mas não há certezas do que realmente se passa no nosso cérebro quando estamos a dormir.Luisa
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:luisa34@netcabo.pt)


De Anónimo a 5 de Março de 2006 às 10:25
Amigo Filipe, este texto/artigo sobre o Sonho está muito completo e gostei muito de o ler. O Sonho no dormir e no acordado é algo que não explico (onde tenho conhecimentos Científicos para o fazer?) mas que os tenho ninguém duvide.
Fique por aí nessa linda cidade, eu fico não onde nasci VN de Famalicão mas de residência VN de Gaia.
Um abraço
ZezinhoMota
ZezinhoMota
(http://zezinhoeseuspoemas.blogs.sapo.pt)
(mailto:zezinhomota@sapo.pt)


De Anónimo a 5 de Março de 2006 às 03:47
Ora amigo Filipe mais uma vez um tema que se coaduna comigo:)Sonho eu que levo a vida a sonhar;)...por vezes até me custa ser assim, não acentar mais um pouco os pés na terra. Enfim é o que há é a minha maneira de ser. Filipe não querendo parecer "cusca" dizias num comentario lá no cantinho da Aldora que a Praia da Claridade está em perigo...será pelas novas alterações (que não acho piada nenhuma) do sapo? É que eu tenho tido problemas com isso...Deixo um grande beijinho desculpa a ausência bom domingo...vou escrever ;) mais um pouco para ir dormir **oteudoceolhar
(http://oteudoceolhar.blogs.sapo.pt)
(mailto:joanstar@sapo.pt)


De Luisa a 6 de Março de 2006 às 17:58
Vim logo cá espreitar. Parece que afinal o parto correu bem embora um pouco demorado... Agora faltam os bonitos a que estávamos habituados


De Martuxa a 6 de Março de 2006 às 20:20
Adoro perder-me em sonhos =D
Sorrisos com beijos


De Ana Rita a 20 de Março de 2006 às 09:47
Olá Filipe! Entrei aqui por acaso mas digo-te que este, é um dos blogs mais interessantes que visitei. Muito bem estruturado textualmente, com temas bastante interessantes...virei mais vezes com toda a certeza. Deixo aqui o meu comentário, pois foi dos artigos que mais gostei..muito bom!Conheço este tema e está muito, muito bem concebido. parabéns!Um beijinho...Ana.


De Ana Rita a 20 de Março de 2006 às 09:47
Olá Filipe! Entrei aqui por acaso mas digo-te que este, é um dos blogs mais interessantes que visitei. Muito bem estruturado textualmente, com temas bastante interessantes...virei mais vezes com toda a certeza. Deixo aqui o meu comentário, pois foi dos artigos que mais gostei..muito bom!Conheço este tema e está muito, muito bem concebido. parabéns!Um beijinho...Ana.


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags