Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2006

A Onça-pintada

Onça-pintada


A onça-pintada  (Panthera onca),  também conhecida por jaguar, é um mamífero da ordem dos carnívoros, membro da família dos felídeos e encontrada nas regiões quentes e temperadas do continente americano.

Classificação

A onça-pintada, junto ao leão, ao tigre e ao leopardo, pertence ao género Panthera.

Distribuição geográfica

A onça-pintada espalhava-se do sul dos Estados Unidos ao norte da Argentina.
Prefere zonas selvagens perto de grandes corpos de água, onde habitam as suas presas preferidas. Evita as regiões montanhosas, o habitat preferido do puma.


Aparência

A onça-pintada, à primeira vista, parece-se muito com o leopardo. Contudo um exame mais detalhado mostra que a sua padronagem de pelo apresenta diferenças significativas. Enquanto o leopardo apresenta manchas escuras de cor sólida, as pintas da onça desenham uma roseta. São compostas por uma forma levemente circular escura. O interior é de um amarelo mais escuro que o restante da pelagem e apresenta pontos pretos. Existem alguns indivíduos melânicos, as chamadas onças-pretas. Não pertencem a uma outra espécie e as manchas ainda são facilmente reconhecíveis na pelagem escura.

A cabeça da onça é proporcionalmente maior em relação ao corpo. Um exemplar adulto alcança até 1,90 m de comprimento, chegando a pesar em torno de 115 kg. A altura da cernelha é de aproximadamente 70 cm.


Dieta

A onça-pintada é uma excelente caçadora. As suas principais presas são as antas (o maior mamífero da América do Sul, que chega a pesar 300 kg), os veados, as capivaras (o maior roedor do mundo, pode chegar a pesar até 80 kg) e até mesmo jacarés. Enquanto os outros grandes felinos matam as suas vítimas, mordendo-as no pescoço, a onça fá-lo atacando-as directamente pelo crânio, graças às suas mandíbulas poderosas, as mais fortes de todos os felinos e a segunda mais forte entre os carnívoros terrestres. A mordida de uma onça pode facilmente atravessar o casco de uma tartaruga. Apesar disso, a onça não se furta em comer pequenos animais, se tiver a sorte de lhe aparecerem.


Reprodução

As onças-pintadas são solitárias e só buscam a companhia de um par durante a época de acasalamento. A gestação dura em média 100 dias e podem ser gerados até quatro filhotes. Estes nascem cegos e passam a ver após 2 semanas. A fêmea só cria até dois por ninhada, permanecendo os filhotes com a mãe até aos dois anos de idade. Os machos atingem a maturidade sexual em torno dos três anos, enquanto que as fêmeas a alcançam com dois anos. Em cativeiro, as onças vivem até 20 anos. A expectativa de vida para animais selvagens cai pela metade.


Status de conservação

A caça pela pele, a destruição dos seus habitats, o isolamento populacional e a caça e envenenamento por parte de pecuaristas têm contribuído para o declínio do números de onças em toda a América. A onça-pintada extinguiu-se nos Estados Unidos da América em 1986, tendo sido avistada pela última vez no Arizona (um dos 50 Estados dos Estados Unidos da América, localizado na Região Sudoeste do país).
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:08
Link do post
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags