Domingo, 13 de Novembro de 2005

O Pinguim Imperador

Pinguim_Imperador.jpg


O pinguim imperador  (Aptenodytes forsteri)  é a maior ave da família Spheniscidae dos pinguins; os adultos podem medir até 1,1 metros de altura e pesar até 30 kg. Os machos desta espécie são dos poucos animais que passam o Inverno na Antártida.

O pinguim imperador caracteriza-se pela plumagem multicolorida: cinzento azulado nas costas, branco no abdómen, preto na cabeça e barbatanas. Esta espécie apresenta uma faixa alaranjada em torno dos ouvidos. A sua alimentação baseia-se em pequenos peixes, krill (o krill - da palavra norueguesa para alimento de baleia - é um grupo de crustáceos muito parecido com o camarão) e lulas, que pescam em profundidades até aos 250 metros. O pinguim imperador pode estar cerca de vinte minutos sem respirar. Os predadores naturais do pinguim imperador incluem a orca, foca leopardo e tubarões.

O padrão reprodutivo desta espécie é bastante característico. As fêmeas põem um único ovo em Maio-Junho, no fim do Outono, que abandonam imediatamente para passar o Inverno no mar. O ovo é incubado pelo macho durante os cerca de 65 dias seguintes que correspondem ao Inverno antárctico. Para superar temperaturas de -40 °C e ventos de 200 km/h, os machos amontoam-se juntos e passam a maior parte do tempo a dormir para poupar energia. Eles nunca abandonam o ovo, que morreria de frio se o fizessem, e sobrevivem à base da camada de gordura acumulada durante o Verão. A fêmea substitui o macho apenas quando regressa no princípio da Primavera. Se a cria choca antes do regresso da mãe, o macho do pinguim imperador alimenta o filho com secreções de uma glândula especial existente no seu esófago.

La Marche de l'Empereur ou a A Marcha dos Pinguins (em português) é um documentário de 2005 rodado na Antárctica sobre a extraordinária vida dos pinguins-imperadores. Conta a história de uma fêmea e de um macho da espécie pinguins-imperadores que fazem a longa viagem da sua vida para porem um ovo, do qual nasce outro pinguim imperador.


Os pinguins são aves não voadoras. Existem exclusivamente no hemisfério Sul. Apesar da maior diversidade de pinguins se encontrar na Antártida e regiões polares, há também espécies que vivem nos trópicos como por exemplo nas Ilhas Galápagos. A morfologia dos pinguins reflecte várias adaptações à vida no meio aquático: o corpo é fusiforme; as asas atrofiadas desempenham a função de barbatanas e as penas são impermeabilizadas através da secreção de óleos.

Os primeiros pinguins apareceram no registo geológico do Eocénico. (Na escala de tempo geológico, o Eoceno ou Eocénico é a época do período Paleogeno da era Cenozóica do éon Fanerozóico que está compreendida entre 55 milhões e 800 mil e 33 milhões e 900 mil anos atrás, aproximadamente).

Durante o período de reprodução, os ovos são colocados em ninhos de pedra, cavados ou sobre as pregas da pele existente nos pés. Os machos, geralmente, ajudam na incubação que dura de 5 a 6 semanas. Os filhotes são agrupados em "creches" e não podem procurar alimento sozinhos até que terminem o seu desenvolvimento.
A fidelidade é característica marcante entre os casais de pinguins. Raramente acontece o divórcio, somente em casos de má reprodução.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:07
Link do post | comentar
2 comentários:
De Anónimo a 13 de Novembro de 2005 às 11:09
... e segundo ouvi, essa curta metragem s/ a migração dos P.Imp. é extraordinário.
Um abraçoVô-Zé
</a>
(mailto:martins-ze@sapo.pt)


De Aline a 6 de Novembro de 2008 às 13:54
Adorei o documentário.! Muito bom..
Até fiz um trabalho sobre esse mesmo pingüim e levei o video pra escola, todo mundo adoro.!!!
Parabéns..! ^^


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags