Sábado, 3 de Dezembro de 2005

O Efeito Doppler

 
Ilustração das ondas sonoras
emitidas de um objecto em movimento



O Efeito Doppler é uma características das ondas sonoras em movimento em relação ao observador. O comprimento de onda observado é maior ou menor conforme a fonte de ondas se afaste ou se aproxime do observador. Quando a fonte sonora e/ou observador se aproximam, a frequência da onda recebida (frequência aparente) pelo observador fica maior (som mais agudo). Ao se afastarem a frequência aparente diminui (som grave).

Também se observa um efeito análogo na ondas luminosas. Nas ondas luminosas este fenómeno é observado quando a fonte e/ou observador se afastam ou se aproximam com grande velocidade relativa. Neste caso, o espectro da luz recebida apresenta desvio para o vermelho (quando se afastam) e desvio para o violeta (quando se aproximam).

O efeito Doppler apresenta várias aplicações. Permite a medição da velocidade relativa das estrelas (como a luz recebida das estrelas apresentam um desvio para o vermelho (1) - menor frequência -, os astrónomos concluem que o universo está em expansão). Permite também a medição da velocidade de objectos móveis (automóveis, aviões, etc.) através de radares ou lasers. Na medicina, um ecocardiograma utiliza este efeito para medir a direcção e velocidade do fluxo sanguíneo ou do tecido cardíaco.
Foi-lhe atribuído este nome em homenagem a Christian Andreas Doppler que o descreveu pela primeira vez em 1842.


(1) - Em termos muito simples o desvio para o vermelho corresponde a uma alteração na forma como a luz é observada em função da velocidade relativa do seu emissor e do seu receptor.

Dada a constante da velocidade da luz e admitindo um emissor e um receptor fixos, um raio de luz é captado como uma cor fixa, em função da sua frequência. Na sua vertente de onda, a frequência da luz (ou cor) é definida pelo espaço de tempo entre duas cristas consecutivas da onda, que não varia no exemplo anterior.

Se o emissor se move na direcção do receptor, o espaço de tempo que este mede entre duas cristas consecutivas será inferior, observando um aumento da frequência e, logo, um desvio para a gama de cores de mais elevada frequência (desvio para o azul).

Se, pelo contrário, o emissor se afasta do receptor, o espaço de tempo que este mede entre duas cristas consecutivas aumenta, observando um desvio para a gama de cores de mais baixa frequência (desvio para o vermelho).

Na origem deste fenómeno está o Efeito Doppler que explica, pelo mesmo motivo, porque é que o apito de uma locomotiva soa mais agudo (frequência mais elevada) quando esta se aproxima do ouvinte.

Em Astronomia o desvio para o vermelho tornou-se um tema de destaque quando se observou este fenómeno em todas as galáxias, implicando que todas se estão a afastar da Via Láctea. Posteriormente apurou-se que não só isso acontece como em geral elas se afastam entre si, ilustrando o estado de expansão acelerada do Universo e reflectindo uma origem comum no Big Bang.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:10
Link do post | comentar
1 comentário:
De Anónimo a 4 de Dezembro de 2005 às 19:25
é costume exemplificar o efeito Dopler pelo apito do combóio q se torna mais agudo à medida q se aproxima.
Bom, o q eu aprendo consigoVô-Zé
</a>
(mailto:martins-ze@sapo.pt)


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags