Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

20
Fev07

Arca de Noé

Praia da Claridade

 
A Arca de Noé segundo Edward Hicks

A Arca de Noé segundo Edward Hicks

Clique aqui para ampliar a imagem



 
O Monte Ararat, com o Pequeno Ararat à direita (Landsat, NASA)

O Monte Ararat, com o Pequeno Ararat à direita (Landsat, NASA)

Clique aqui para ampliar a imagem




Segundo o livro bíblico do Génesis, a Arca de Noé foi a provisão pela qual os antepassados de toda a Humanidade sobreviveram ao Dilúvio Bíblico. Deus deu a Noé instruções detalhadas sobre o tamanho, formato, feitio da iluminação e da ventilação, e sobre os materiais a usar na sua construção (Génesis 6:14-16). A sua representação comum tem a forma de um barco, mas na realidade seria uma caixa rectangular. O termo hebr. teváth  vertido por "arca", significa efectivamente uma arca ou caixa. Não pretendia ser uma embarcação com o objectivo de navegar, mas somente para flutuar. A Bíblia diz que 5 meses após o Dilúvio Bíblico começar, a "Arca veio pousar nos Montes de Ararate(1)" (Génesis 8:4). Após isso, depois de 5 meses e 10 dias, a porta foi aberta (Génesis 7:11; 8:4, 14). Ararate refere-se a uma região na Arménia – o antigo Reino de Urartu, e não um monte específico. Após a saída de Noé, da sua família e dos animais da Arca, a localização e o seu destino jamais foi referido na Bíblia.
 
É opinião bastante aceite que a narração sobre Noé e o Dilúvio(2) deve ser interpretada, não como um facto histórico, mas como mera alegoria sem pretensão alguma de ser encarada literalmente. Porém, há grupos religiosos que entendem a narrativa como literal. Na tradição cristã, a Igreja Cristã é simbolizada pela Arca de Noé. Alguns vêm na Arca de Noé a simbologia de fecundidade, ao preservar em si a Vida durante o período do dilúvio purificador e possibilitar a recriação da Humanidade.
 
Formato, tamanho e capacidade de carga
 
De acordo com Génesis, a Arca de Noé era uma grande embarcação em forma de caixa, construída de madeira, provavelmente de cipreste, e impermeabilizada com alcatrão. Baseado no cálculo do côvado comum como tendo 44,5 cm, as suas dimensões seriam 133,5 m de comprimento por 22,30 m de largura, 13,40 m de altura. Tinha uma porta lateral. Certamente, o tecto deveria tido um ligeiro grau de inclinação para escoar a água da chuva. Esta relação entre comprimento e largura, de 6 para 1, é usada pelos modernos engenheiros navais. Isto daria à arca cerca de 40 mil m³ de volume bruto. Internamente, os seus 3 conveses forneceriam uma área total de mais de 8 900 m² de espaço útil. A lista de passageiros da arca era bastante impressionante. Além de Noé e sua família, espécies básicas dos animais terrestres e de aves (Génesis 6:18-21). No relato acadiano sobre o Dilúvio, na Epopeia de Gilgamesh, esta embarcação era um cubo de uns 60 m de cada lado, construído em apenas 7 dias. Noé demorou 40 anos para construir a Arca. Deus não avisou Noé com anos de antecedência sobre o dia e a hora exacta do Dilúvio. No entanto, quando Noé tinha 480 anos de idade, Jeová (Deus) decretou: “Meu espírito não há-de agir por tempo indefinido para com o homem, porquanto ele é carne. Consequentemente, os seus dias hão-de somar cento e vinte anos” (Génesis 6:3). Noé teve total confiança neste decreto judicial. Depois de chegar aos 500 anos de idade, ele “tornou-se pai de Sem, Cã e Jafé”, e o costume existente naqueles dias sugere que se passaram 50 a 60 anos antes dos seus filhos se casarem. Quando se mandou que Noé construísse a arca para haver preservação através do Dilúvio, os seus filhos e as esposas deles, evidentemente, ajudaram-no nesta tarefa. A construção da arca provavelmente coincidiu com o serviço de Noé qual “pregador da justiça”, o que o manteve ocupado pelos últimos 40 a 50 anos antes do Dilúvio - Génesis 5:32; 6:13-22.
 
Descoberta da Arca
 
Nos anos 80 do Século XX, a busca da Arca obteve certo ar de respeitabilidade com a participação activa do ex-astronauta da NASA, James Irwin, em expedições à montanha. Além disso, as investigações sobre a Arca também foram aceleradas com a dissolução da ex-União Soviética, pois a montanha estava justamente na fronteira entre a União Soviética e a Turquia. As afirmações de que alegadamente encontraram vestígios da Arca de Noé não são consideradas credíveis. Dezenas de expedições que foram feitas à região montanhosa do Ararate, têm alimentado numerosas especulações sem no entanto ter sido apresentada nenhuma prova. Hoje em dia, a região é palco de conflitos com as tropas de guerrilheiros Curdos, e os poucos que se aventuraram a escalar o Ararate foram abatidos sem mais perguntas. A única face da montanha cujo acesso não é barrado pelo gelo e pelos guerrilheiros é a face sul. A Arca de Noé estaria do lado norte, sendo este o principal motivo pelo qual até hoje não se comprovou a presença real da mítica arca na região.
 

 

(1) - O Monte Ararat, ou Monte Ararate na sua forma aportuguesada, é a mais alta montanha da moderna Turquia, com 5.137 m de altitude. Tem a forma de um cone vulcânico coberto de neves eternas localizado no extremo nordeste da Turquia, a 16 km a oeste do Irão e a 32 km ao sul da Arménia. O Génesis identifica esta montanha como sendo o local onde a Arca de Noé teria tocado terra firme após o Dilúvio.
 
 
(1) - O Dilúvio é um episódio obscuro da História da Humanidade, tendo sido relatado pelas mais diversas fontes. A versão mais conhecida é aquela descrita na Bíblia, em que Noé, seguindo as instruções divinas, constrói uma arca para a preservação da Vida na Terra, na qual abriga um casal de cada espécie de animal, bem como a ele e a sua própria família, enquanto Deus, exercendo julgamento sobre os ante-diluvianos (povo demente e acções perversas), inundava toda a Terra com uma chuva que durara 40 dias e 40 noites. Após alguns meses, quando as águas começaram a descer, Noé enviou uma pomba, que lhe trouxe uma folha de oliveira. A partir daí, os descendentes de Noé teriam repovoado a Terra, dando origem a todos os povos conhecidos. Golfinhos também estariam na Arca.
 
Além do facto de Jesus considerar o evento como facto real e definitivo (Mateus 24:37-39), o Dilúvio também é descrito em fontes sumérias, assírias, arménias, egípcias e persas, entre outras, de forma basicamente semelhante ao episódio bíblico: Deus (ou o deus em questão) decide limpar a Terra de uma Humanidade corrupta e escolhe um homem bom aos seus olhos para construir uma arca para abrigar a sua Criação no tempo em que a Terra estivesse inundada. Após um certo período, a água desce, a arca fica encalhada numa montanha, os animais repovoam a Terra e os descendentes de tal homem geram todos os povos do mundo.
Fonte: Wikipédia. 
 

.......................

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D