Quinta-feira, 8 de Fevereiro de 2007

A ponte mais extensa do mundo

 
A Ponte Causeway no Lago Pontchartrain

A Ponte Causeway no Lago Pontchartrain

Clique aqui para ampliar a imagem


 
A Ponte Causeway e o Lago Pontchartrain vistos por satélite

A Ponte Causeway e o Lago Pontchartrain vistos por satélite

Clique aqui para ampliar a imagem


 
A Ponte Causeway na direcção sul para Nova Orleães

A Ponte Causeway na direcção sul para Nova Orleães

Clique aqui para ampliar a imagem


 

 

A Causeway do lago Pontchartrain (em inglês Lake Pontchartrain Causeway), é uma ponte constituída por duas vias paralelas que atravessam o lago Pontchartrain numa extensão de 38.422 metros, constituindo a ponte mais extensa do mundo.
 
O Lago Pontchartrain é um lago localizado no sudeste do Estado americano de Louisiana. É o segundo maior lago de água salgada do país, atrás somente do Grande Lago Salgado, e é o maior lago da Louisiana. Possui uma área de 630 quilómetros quadrados e uma profundidade média de apenas 3,5 metros. Na margem sul do lago localiza-se a cidade de New Orleães, a maior cidade do Estado, protegida por diques que se romperam em 2005, com a passagem do furacão Katrina. Sendo área de polderes com as menores altitudes da Louisiana o estrago foi enorme.
 
 
Localização e características
 
Situadas na zona sul do estado da Luisiana, as pontes ligam a localidade de Madeville, a norte, através do lago Pontchartrain, até Metairie, a sul, um subúrbio de Nova Orleães.
 
A suportá-las contam com mais de 6.000 pilares de betão assentes no fundo do lago que tem uma profundidade média de apenas 4 metros, excepto no canal de navegação onde atinge 45 metros.
 
As pontes estão a uma altitude de cerca de 5 metros sobre as águas subindo a 7,5 metros em três locais para passagem de pequenas embarcações e a 15 metros em dois outros locais para passagem de embarcações de maior porte. Para a passagem de barcos de grande altura foi criada uma secção basculante situada num canal de navegação existente a cerca de 8 kms da margem norte.
 
As duas vias distam cerca de 25 metros uma da outra, sendo que a mais recente é ligeiramente mais extensa, medindo 38.422 metros.
 
Depois de entrar na ponte não há possibilidade de inversão de marcha pelo que é necessário estar preparado para fazer todo o percurso, podendo parar, em caso de avaria, num dos sete locais existentes para o efeito onde existe uma ligação de emergência entre as pontes.
 
 
História
 
A ideia de atravessar o lago remonta ao século XIX e ao fundador da cidade de Mandeville. Na altura ele iniciou um serviço de ferry que operou até meados dos anos 30.
 
Em 1920 houve um primeiro plano, entretanto abandonado, de conseguir a travessia através da criação de pequenas ilhas artificiais ligadas por pontes sucessivas durante toda a extensão do lago. O projecto seria financiado pela venda de habitações nessas ilhas.
 
A ideia da ponte como se conhece começou a ser concebida nos anos 50 com a criação, pelo poder legislativo da Louisiana, da chamada Comissão Causeway.
 
A utilização de betão pré-esforçado na construção veio a permitir a concretização da ideia, levando à criação em 1954 da Louisiana Bridge Company, responsável pela construção da ponte que seria iniciada em 1955 e concluída logo no ano seguinte, sendo aberta ao público em 30 de Agosto de 1956.
 
Com o tráfego a aumentar todos os anos em breve se tornou clara a necessidade de uma nova via. Em Setembro de 1967 inicia-se então a construção de uma segunda ponte integrando já as inovações de construção entretanto aparecidas, sendo aberta ao tráfego em 10 de Maio de 1969. Esta nova ponte, paralela à original, viria a ter mais 65 metros do que a antiga, custando cerca de 26 milhões de dólares. Quando desta construção foram também criadas sete ligações entre as pontes para situações de emergência.
 
A Causeway  do Lago Pontchartrain sempre foi uma ponte portajada. Até 1999 a portagem era cobrada em ambos os sentidos, todavia, a partir dessa data, e de forma a facilitar o tráfego, a portagem passou a ser cobrada apenas a Norte à entrada da ponte, e o valor passou de $1,50 para $3,00.
 
A abertura da Causeway  melhorou de forma significativa o nível de vida das pequenas comunidades ao norte do Lago pois encurtou em cerca de 50 minutos o tempo de deslocação até Nova Orleães, antes percorrido circundando o lago.
 
Na sequência do Furacão Katrina, a 29 de Agosto de 2005, foi feita uma verificação geral à ponte mas, apesar de alguns pequenos danos, as fundações mantiveram-se intactas, pelo que esta foi uma das vias importantes de socorro a Nova Orleães face aos estragos ocorridos noutras importantes auto-estradas de acesso à cidade. Na altura a Causeway começou por ser aberta apenas ao trânsito de emergência e só depois ao público em geral, com as portagens suspensas em 19 de Setembro de 2005. Em meados do mês seguinte viriam a ser reintroduzidas.
 
 
Futuro
 
Com volumes de tráfego diário de cerca de 30.000 veículos, iniciaram-se as discussões sobre a eventual construção de uma terceira via, na expectativa de que, até 2018, as pontes atingirão o seu limite. Estuda-se assim a possibilidade de construir uma terceira via, mais larga que as anteriores, possuindo para além das duas vias de trânsito, uma faixa direita de emergência. Ao mesmo tempo seria também criada uma faixa de emergência na ponte mais antiga (a que se dirige para sul) e a ponte construída em 1969 viria a ter uma via reversível (com o sentido determinado em função do fluxos do trânsito às diferentes horas do dia), também com uma faixa de emergência.
Fonte: Wikipédia. 
 

.......................
Publicado por: Praia da Claridade às 00:00
Link do post
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags