Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

30
Dez06

Ponte das Barcas e Ponte Pênsil (Porto)

Praia da Claridade

 
As 'Alminhas da Ponte' lembram a tragédia de 29 de Março de 1809, no rio Douro
 

As 'Alminhas da Ponte'
lembram a tragédia de 29 de Março de 1809, no rio Douro



 
  
 
Pilares da antiga Ponte Pênsil, no Porto

Pilares da antiga Ponte Pênsil, no Porto. A Ponte Dom Luís I, ao seu lado.


 
 
 
Chama-se Ponte das Barcas a uma ponte que existiu na cidade do Porto, Portugal, sobre o Rio Douro, construída sobre barcaças.
 
A necessidade de haver uma travessia para a margem sul do Rio Douro para circulação de pessoas e mercadorias, constituiu uma preocupação permanente ao longo dos séculos. Ao longo dos tempos houve várias "pontes das barcas" construídas para determinados propósitos, como a rápida deslocação de contingentes militares. No entanto, por regra a travessia do Rio Douro fazia-se com recursos a barcos, jangadas, barcaças ou batelões.
 
A Ponte das Barcas construída com objectivos mais duradouros foi projectada por Carlos Amarante e inaugurada a 15 de Agosto de 1806, e era constituída por 20 barcas ligadas por cabos de aço e que podia abrir em duas partes para dar passagem ao tráfego fluvial.
 
Foi nessa ponte que se deu a tristemente célebre catástrofe da Ponte das Barcas, em que milhares de vítimas pereceram quando fugiam, através da ponte, às cargas de baioneta das tropas invasoras francesas do Marechal Soult, em 29 de Março de 1809.
 
As Alminhas da Ponte são um baixo relevo do escultor Teixeira Lopes, localizado na cidade do Porto, que eternizou o momento em que centenas de pessoas, fugindo das tropas do Marechal Soult que atacavam a cidade sob ordens de Napoleão, faleceram na travessia da Ponte das Barcas. O peso e a aflição da população em fuga originou o afundamento da ponte que ligava as duas margens do rio Douro. Hoje em dia, os cidadãos depositam velas acesas e flores perto das Alminhas da Ponte para lamentar a tragédia.
 
A Ponte das Barcas, reconstruída depois da tragédia, acabaria por ser substituída definitivamente pela Ponte Pênsil em 1843.
 
 
A Ponte Pênsil, originalmente denominada Ponte D. Maria II, era uma ponte suspensa que ligava as duas margens do Rio Douro, entre a cidade do Porto e Vila Nova de Gaia.
 
A sua construção foi iniciada em Maio de 1841, para comemorar o aniversário da coroação de D. Maria II, ainda que ficasse conhecida como Ponte Pênsil. A construção terminou cerca de dois anos depois do início das obras.
 
Com pilares de cantaria de 15 metros de altura, 150 metros de comprimento e 6 de largura, a ponte assegurava um melhoramento no tráfego entre as duas margens, substituindo a periclitante Ponte das Barcas.
 
Para testar a sua resistência suportou mais de 105 toneladas, peso esse constituído por cerca de 100 pipas de água. Manteve-se em funcionamento durante cerca de 45 anos, até ser substituída pela Ponte Dom Luís I, construída ao seu lado.
 
Restam actualmente os pilares e as ruínas da casa da guarda militar que assegurava a ordem e o regulamento da ponte, assim como a cobrança de portagens para a sua travessia.
Fonte: Wikipédia. 
 

..........................

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D