Terça-feira, 15 de Agosto de 2006

João de Barros

 
Lápide de homenagem a João de Barros, com parte de um seu poema, na Serra da Boa Viagem - Figueira da Foz
 
Lápide de homenagem a João de Barros, com parte de um seu poema,
na Serra da Boa Viagem - Figueira da Foz
 
 

João de Barros, poeta, pedagogo e publicista, nasceu na cidade da Figueira da Foz em 4 de Fevereiro de 1881 e faleceu em Lisboa em 1960. João de Barros dedicou os seus últimos anos de vida à adaptação em prosa de alguns dos mais famosos textos clássicos: "Os Lusíadas" de Luís Vaz de Camões e a "Odisseia" de Homero, entre outros.
 
A sua poesia traduz estados de alma que se baseavam em valores elevados: a sinceridade e as virtudes do espírito de um homem de verdade.
 
Diversos manuscritos do autor encontram-se no Arquivo Histórico Municipal da Figueira da Foz.
 
Aquele mar
Meu confidente de horas idas
Tudo escutava e adivinhava
Do meu pueril e ingénuo anseio
 
E a eternidade em tudo via
Humano sonho sempre esquecido
Na eterna voz que fala o mar

 
"João de Barros"
 
 
Publicado por: Praia da Claridade às 14:20
Link do post | comentar
6 comentários:
De ACÀCIO SIMÕES a 15 de Agosto de 2006 às 17:22
Aquele mar da minha infância
bom camarada e meu irmão...
... ... ...
eu sorrirei, calmo e contente
se ouvir e vir, perto, bem perto
o mar fraterno, o mar eterno, o livre mar

Se hoje João de Barros fosse vivo ficaria pasmado com o custo elevadíssimo dos produtos do mar expostos no Mercado da Figueira da Foz, mesmo de simples carapaus para fritar, apesar de insistentemente se recomendar o consumo de peixe para melhor defesa da saúde. Fica muito mais barato comprar um borrego ou posta ou costeletas de carne mirandesa do que comprar peixe no Mercado da Figueira da Foz, para já não falar do consumo de carne de porco.
Um abração ó Filipão!


De Cöllyßry a 15 de Agosto de 2006 às 17:44
É sempre bom lembrar o que de bom temos...
bela homenagem...
Bjoca doce e meu rasto...
Cõllybry


De soaresesilva a 15 de Agosto de 2006 às 19:18
Hoje cheguei aqui tarde porque não quiz deixar de ver a última etapa da Volta a Portugal que, infelizmente, foi ganha por um espanhol...
Não conhecia este João de Barros teu conterrâneo. Só conheço o outro João de Barros cujos textos éramos obrigados a ler no liceu.


De Paola Vannucci a 15 de Agosto de 2006 às 19:51
Meu amor,

vou ter de fazer lazanha, comprar uma dáli, i a Ilha de sao miguel, andar em cima de um camelo, ir ao egito,............


adoro vir aqui me atualiza

e nao sabia que dia 13 foi meu dia tb

muito legal tudo isso

bjssssssssssssss

Paola


De Chicailheu a 15 de Agosto de 2006 às 23:42
Lindíssimo!
Gostei muito desta homenagem a João de Barros.
Cada vez gosto mais de visitar este teu Blog.
Beijos
Chicailheu


De Colibri a 6 de Outubro de 2006 às 20:16
Tenho saudades de aquele tempo em que falávamos por e-mail, mais tarde por telefone.
Quando éramos amigos (grandes amigos).
Trocavamos desabafos no meio de palavras.
Eramos desconhecidos que se conheciam por palavras.
Pulávamos de blog em blog as vezes juntos e acabávamos mais um dia a sorrir.
Mas isso, num dia, sem prévio aviso, acabou...
já não existia mail, o telefone já não tocava e tudo foi murchando....
Às vezes pergunto-me: Como estará ele na sua praia da Claridade??
E às vezes venho cá e nem te leio! Basta ver-te que ainda cá estás... mesmo que eu já cá não exista!


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags