Terça-feira, 25 de Outubro de 2005

Bebidas alcoólicas


'Bebida alcoólica' é toda bebida que contenha álcool etílico ou etanol (não confundir com metanol que é altamente tóxico).

Processo

O álcool é produzido pela
fermentação de açúcares contidos em frutas, grãos e em caules (como na cana-de-açúcar
). As bebidas alcoólicas são classificadas em: Bebidas Fermentadas, Bebidas Destiladas e as Bebidas Compostas.

Exemplos:


Exemplos_de_Bebidas_Alcoolicas.JPG


Álcool e civilização

Todas as civilizações conhecem a produção de álcool. No entanto, existe uma grande diversidade de atitudes diante das bebidas alcoólicas. Se para algumas as bebidas alcoólicas fazem parte do dia a dia (para o bem e para o mal) e das principais comemorações (são importante fonte de renda e de impostos), ou outras, nomeadamente as civilizações que seguem a
religião islâmica
, as bebidas alcoólicas são estritamente proibidas.

Alcoolismo

A bebida alcoólica pode ser considerada como a droga mais vendida no planeta e o
alcoolismo
dela decorrente é um sério problema de saúde pública.

Mitos sobre o álcool


O álcool:

  • não abre o apetite
  • não facilita a digestão
  • não alimenta e dá forças
  • não mata a sede
  • não aquece
  • não estimula
  • não faz bem ao coração
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:09
Link do post | comentar
Segunda-feira, 24 de Outubro de 2005

Museu da Farmácia

180px-Selo_alambique_1910_frasco_1890_1930.jpg



O Museu da Farmácia localizado no edifício da Associação Nacional das Farmácias, em Santa Catarina (Lisboa), foi inaugurado em Junho de 1996. As primeiras peças que deram origem a este museu foram as doações à Associação Nacional de Farmácias, pelo Dr. Salgueiro Basso, à qual se seguiram outras de  farmacêuticos associados e de outras instituições. O acervo deste museu representa 5.000 anos de história da Saúde e é constituído por enumeras peças de diversas origens geográficas (Egipto, Roma, Mesopotâmia, etc.), sendo de salientar a reconstituição de quatro Farmácias, como por exemplo, uma Farmácia de Macau, assim como uma farmácia portátil do séc. XVIII. Mostra também diversas máquinas e aparelhos utilizados pelas "boticas" no fabrico e armazenamento de medicamentos, como almofarizes, vasos de botica, frascos de farmácia de vidro, balanças, matrazes, etc.

O Museu da Farmácia foi distinguido com os seguintes prémios:

  • Melhor Museu Português em 1996, 1997, 1998
  • Melhor Projecto Farmacêutico em 1999

Os CTT Correios de Portugal editaram uma colecção de selos com imagens de algumas peças do Museu da Farmácia.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Publicado por: Praia da Claridade às 00:06
Link do post | comentar

O Ovo

Ovo_01.jpg


Do ponto de vista da biologia, ovo é o mesmo que zigoto, ou seja, um ovócito II feminino fecundado por um espermatozóide masculino, o primeiro produto da reprodução sexuada.
(Zigoto é a célula resultante da união de duas gâmetas: óvulo fecundado).

Alimento

O ovo é um importante alimento para qualquer animal omnívoro ou carnívoro, por ser rico em vitaminas e conter muitos nutrientes.
O homem moderno costuma preparar o ovo cozido ou frito.

Para todos os que amam comer ovos, aqui estão alguns factos importantes:

Os ovos são uma excelente fonte de proteína e, na verdade, quando se classifica os alimentos pela sua qualidade de proteínas, eles são comparados aos ovos.

Eles fornecem vitaminas B e, para os vegetarianos que não comem carne vermelha, eles são fonte para a vital vitamina B12. Dos ovos também provêem ferro e vitamina E, assim como outras vitaminas e minerais.

Muitos de nós evitam comer ovos por causa da sua quantidade de colesterol. Porém, ainda que a quantidade de colesterol seja um pouco maior de 200 mg (o total recomendado por dia é de menos de 300 mg), somente 25% da gordura total (toda a gordura está na gema) é saturada. Três claras de ovos somam em torno de 55 calorias, então considere combinar um ovo inteiro com claras de ovos.

A "American Dietetic Association" recomenda, para a maioria das pessoas, uma concessão de até 4 ovos inteiros por semana, mas podemos ter uma combinação de clara de ovos com ovos inteiros. Se quisermos adicionar proteínas extra de qualidade à nossa dieta, há muitas formas de preparar claras de ovos.

Por último, para aqueles que adoram ovos cozidos, a "American Dietetic Association" e o "Center for Disease Control" recomendam que eles sejam cozidos cuidadosamente por questão de segurança.


TIPOS DE OVOS


- Alécitos ou oligolécitos: pequeno tamanho e pobres em vitelo, sob a forma de finas granulações e cuja distribuição é uniforme.

- Heterolécitos ou mesolécitos: mais volumosos que os precedentes, o vitelo está presente sob a forma de granulações mais ou menos grossas distribuídas de tal modo que é possível distinguir um pólo vegetativo e um pólo animal.

- Telolécitos: o vitelo é muito abundante, ocupando a maior parte do volume do ovo; o pólo animal é limitado a uma pequena zona periférica - disco germinativo ou cicatrícula, nas proximidades da qual está o núcleo.

- Centrolécitos: variedade dos ovos telolécitos, cujo vitelo forma uma massa central circundada por um citoplasma periférico, onde o núcleo se situa.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Sabia que a gema do ovo tem outra denominação?...
Chama-se, também,
vitelo !
Em média, uma galinha poedeira põe 300 ovos/ano.

Sabe como fazer para verificar se o ovo está fresco?
Comece por colocá-lo dentro de um copo como uma solução de água e sal. Se o ovo estiver fresco irá até ao fundo; se ficar a meio do recipiente significa que tem cerca de 4 ou 5 dias; se flutuar na água é sinal que não deve ser consumido.
É também possível avaliar a frescura de um ovo depois de cozido. Se este for fresco a gema aparecerá centrada.
Não dê importância à cor do ovo, pois esta não influencia a sua qualidade.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:06
Link do post | comentar
Domingo, 23 de Outubro de 2005

A Medula Óssea

MedulaOssea.jpg

A Medula Óssea, popularmente conhecida como "tutano", é um tecido gelatinoso que preenche a cavidade interna de vários
ossos e fabrica os elementos figurados do sangue periférico como: hemácias, leucócitos e plaquetas.
A medula óssea é, pois, um
órgão hematopoiético. Ela é constituída pelas linhagens que originam os três elementos citados acima, de células que tomam parte na fabricação do osso (osteoblastos e osteoclastos), de células e fibras que compõem uma malha para sustentar todas as células referidas (fibras e células reticulares). É no interior dos ossos, na medula óssea, onde estão as células progenitoras das células sanguíneas. Ali também têm origem as alterações que vão ser responsáveis por inúmeras doenças.

A medula óssea é constituída por um
tecido esponjoso mole localizado no interior dos ossos longos. É nela que o organismo produz praticamente todas as células do sangue: glóbulos vermelhos (Eritrócitos), glóbulos brancos (Leucócitos) e plaquetas (Trombócitos). Estes componentes do sangue são renovados continuamente e a medula óssea é quem se encarrega desta renovação. Trata-se portanto de um tecido de grande actividade evidenciada pelo grande número de multiplicações celulares.

Estima-se que num
adulto médio, com aproximadamente 5 litros de sangue, existam em cada centímetro cúbico de sangue cerca de 4,5 milhões de glóbulos vermelhos, 6 mil glóbulos brancos e 300 mil plaquetas. Isso significa um total aproximado de 22,5 biliões de glóbulos vermelhos, 30 milhões de glóbulos brancos e 1,5 bilião de plaquetas.

As células sanguíneas têm
vida curta: os glóbulos vermelhos têm uma vida média de 120 dias, os glóbulos brancos vivem em média 1 semana, as plaquetas 9 dias. Há, portanto, células permanentemente morrendo, sendo destruídas ou eliminadas e substituídas por novas células normais.

Ao nascermos todos os nossos ossos contém medula capaz de produzir sangue: a medula vermelha. Com a passagem dos anos, a maior parte da medula vai perdendo a sua função, sendo substituída por tecido gorduroso que passa a ser chamada de medula amarela.

No adulto apenas alguns ossos continuam a exercer essa função: as
costelas, o corpo das vértebras, as partes esponjosas de alguns ossos curtos e das extremidades dos ossos longos dos membros superiores e inferiores, assim como o interior dos ossos do crânio e do esterno.

Os outros ossos do
esqueleto do adulto possuem medula amarela e portanto, em condições normais, são incapazes de produzir sangue. Quando há uma necessidade maior, como no caso de uma anemia, parte desta medula óssea amarela pode voltar a produzir células sanguíneas.

A medula óssea mantém-se em actividade intensa e ininterrupta para produzir células sanguíneas e para isso depende de abundante e contínuo suprimento de
substâncias.

Para elaborar novos glóbulos vermelhos ela aproveita restos de glóbulos vermelhos envelhecidos e destruídos. O
ferro contido na hemoglobina é deixado na medula pelos Eritrócitos que chegam ao fim da vida e novamente utilizado pela medula para formar novas moléculas de hemoglobina.

Células fagocitárias do
baço, fígado, gânglios linfáticos e da própria medula encarregadas de englobar os glóbulos envelhecidos e destruí-los no interior do seu citoplasma, lançam o ferro na circulação para aproveitamento futuro. Grande parte deste ferro fica armazenado no fígado e na medula. O ferro da dieta, absorvido pela mucosa do intestino delgado, complementa as necessidades diárias deste elemento.

Outra substância indispensável ao funcionamento do
tecido hematopoético é a vitamina B12. Quantidades muito pequenas desta vitamina são necessárias diariamente, mas para que ela seja absorvida e aproveitada pelo organismo, exige a presença do factor intrínseco da vitamina B12, açúcar de natureza complexa, sintetizado pelas células da mucosa do estômago.

A falta desta substância leva a uma diminuição da produção de células sanguíneas pela medula e o aparecimento de precursores de tamanho aumentado, os megaloblastos. A este tipo de anemia denomina-se
anemia megaloblástica.

O
ácido fólico, uma das vitaminas do complexo B, também está relacionado com a produção dos glóbulos vermelhos pela medula óssea. As duas substâncias desempenham importantes papéis em numerosas reacções bioquímicas que envolvem os ácidos nucleicos.



Anemia megaloblástica

É uma doença na qual a medula óssea produz glóbulos vermelhos gigantes e imaturos. Esse distúrbio é provocado pela carência de vitamina B12 ou de ácido fólico. Uma vez que esses dois factores são importantes para a síntese de DNA e responsáveis pela eritropoiese, a sua falta causa um defeito na síntese de DNA, levando ao desequilíbrio no crescimento e divisão celular.


Sintomas Comuns
  • Pode haver perda de apetite
  • Dores abdominais, enjoos e diarreia
  • Podem também desenvolver-se úlceras dolorosas na boca e na faringe
  • Podem ocorrer alterações de pele e perda de cabelo
  • Cansaço e a perda de energia e de vontade
  • Pode ocorrer uma sensação de boca e língua doridas
  • A deficiência durante a gravidez pode resultar em parto prematuro e/ou malformação do feto
  • Nas crianças, o crescimento pode ser retardado e a puberdade atrasada
A deficiência de folatos (ácido fólico) tem também sido associada com problemas neurológicos, tais como demência e depressão. Se deixada sem tratamento, a anemia megaloblástica pode ser fatal.



Ácido fólico

É uma
vitamina hidrossolúvel do complexo B (antigamente chamada Vitamina M)  encontrada em alimentos como brócolos, espinafre, gema de ovo, fígado, feijão, vagens, tâmaras secas, peixes (principalmente atum e salmão), ostras e frutas cítricas. Em cozimento excessivo os alimentos perdem o acido fólico ali presente.


Funções
  • É necessário para o bom funcionamento do cérebro
  • Melhora o volume de leite para a mulher lactante
  • Ajuda a prevenir a anemia
  • Ajuda o corpo a desenvolver células saudáveis
  • Essencial para a formação de hemácias
  • Necessário para a clivagem celular
  • Ajuda o metabolismo das proteínas
  • É responsável pela síntese dos ácidos nucleicos (substâncias que produzem proteínas, tecidos, e também o código genético, como o DNA, por exemplo)
  • Ajuda o funcionamento dos intestinos
  • Reduz os riscos de doenças cardíacas

A sua deficiência gera anemia megaloblástica e inflamações gastrointestinais em geral deve-se a dieta inadequada, com utilização de poucos alimentos frescos e ao alcoolismo. E na gravidez, a sua deficiência pode causar má formação no sistema nervoso do bebé.

Ácido fólico e a gravidez

Na gravidez, é muito importante que a mãe consuma esse tipo de vitamina B, pois ajuda a prevenir os defeitos do tubo neural. O tubo neural é a estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinal. Os defeitos de tubo neural são defeitos que ocorrem quando o tubo neural do embrião não se fecha adequadamente nos seus dois extremos para formar a espinal medula e o cérebro podendo causar a anencefalia (má formação congénita devido a um defeito e não fechar correctamente no extremo superior do tubo neural)  e a paralisia da parte inferior do corpo e perda das funções intestinais e da bexiga (se não fechar no extremo inferior).

Fonte: Wikipédia.


Complemento a este assunto no artigo de 26 de Outubro (ver aqui

 

Temas:
Publicado por: Praia da Claridade às 00:11
Link do post | comentar | ver comentários (3)
Sábado, 22 de Outubro de 2005

Parque das Nações - Lisboa

Parque_das_Nacoes.jpg



O Parque das Nações

É a designação para o local onde foi realizada a Exposição Mundial de 1998 (Expo'98), tendo-se tornado, entretanto, um centro de actividades culturais. De arquitectura contemporânea e espaços de convívio trouxeram nova dinâmica à zona oriental de Lisboa e do Município de Loures que, em 1990, ainda era uma zona industrial.

Destacam-se ao longe, as abóbadas das plataformas da Gare do Oriente, de Santiago Calatrava, impondo a sua linha arquitectónica; o Pavilhão de Portugal, do arquitecto português Álvaro Siza Vieira, tem à entrada uma enorme pala de betão pré-esforçado, imitando a vela de um barco.

O Parque dispõe de um Pavilhão do Conhecimento, um moderno museu de ciência e tecnologia com várias exposições interactivas; um teleférico transporta os visitantes de uma ponta à outra do Parque, ou até à Torre Vasco da Gama, o edifício mais alto de Lisboa.

Administrativamente, o Parque das Nações divide-se pela freguesia de Santa Maria dos Olivais, no Concelho de Lisboa, e de Moscavide e Sacavém, no Concelho de Loures. Alguns sectores da população do parque e alguns movimentos e partidos defendem a criação da Freguesia do Oriente, no Concelho de Lisboa, que englobe as três áreas numa só administração.

Fonte_Parque_Nacoes.jpg


Expo_98.jpg


A Expo'98

A Expo'98, ou Exposição Mundial de 1998, cujo tema foi "Os oceanos: um património para o futuro", realizou-se em Lisboa, Portugal de 22 de Maio a 30 de Setembro de 1998.

A zona escolhida para albergar o recinto foi o limite oriental da cidade junto ao rio Tejo. Foram construídos diversos pavilhões que permanecem ao serviço dos habitantes e visitantes integrados no agora designado Parque das Nações, destacando-se o Oceanário (um dos maiores aquários da Europa com 5 ambientes marinhos distintos e numerosas espécies de mamíferos e peixes, do arquitecto Peter Chermayeff) um pavilhão de múltiplas utilizações (Pavilhão Atlântico, arquitecto Regino Cruz) e um complexo de transportes com metropolitano e ligações ferroviárias (Estação do Oriente, do arquitecto Santiago Calatrava).

A Expo'98 atraiu cerca de 10 milhões de visitantes. O seu sucesso, no entanto, ficou a dever-se à vitalidade cultural que demonstrou - por exemplo, os seus cerca de 5.000 eventos musicais constituíram um dos maiores festivais musicais da história da humanidade. Arquitectonicamente, a Expo revolucionou esta parte da cidade e influenciou os hábitos de conservação urbana dos portugueses - pode dizer-se que o Parque das Nações é um exemplo de conservação bem-sucedida dum espaço urbano.


Oceanario_Expo98.jpg


O Oceanário de Lisboa

O Oceanário de Lisboa é um museu de biologia marinha situado no Parque das Nações em Lisboa, construído no âmbito da Expo 98.

Este pavilhão, da autoria do arquitecto norte-americano Peter Chermayeff, lembra um porta-aviões e está instalado num cais rodeado de água. É o segundo maior oceanário do mundo (2004) e contém uma impressionante colecção de espécies — aves, mamíferos, peixes e outros habitantes marinhos.

Quatro zonas separadas representam os habitats dos oceanos Atlântico, Pacífico, Índico e Antárctico, e as suas fauna e flora.

A principal atracção, para a maior parte dos visitantes, é o grande tanque central, onde coexistem várias espécies de peixes como tubarões, barracudas, raias, atuns e pequenos peixes tropicais. Embora pretenda ser uma representação do oceano aberto, tem sido criticado por vários cientistas pelo facto de juntar espécies pouco relacionadas no mesmo espaço.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:12
Link do post | comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 21 de Outubro de 2005

O Eurotúnel

Eurotunel_02.jpg


O Eurotúnel, Túnel da Mancha, Channel Tunnel, em inglês, le tunnel sous la Manche, em francês e ainda alcunhado pelos ingleses como The Chunnel, é um túnel ferroviário que liga a França à Inglaterra por debaixo de água. A sua construção foi bastante demorada e o início das obras sofreu algumas falsas partidas até à sua inauguração em 1994. É o segundo mais longo túnel ferroviário do mundo, apenas ultrapassado pelo ‘’Túnel de Seikan’’ no Japão.

Tentativas anteriores

Uma ligação entre a França e a Inglaterra já havia sido proposta em diversas ocasiões:

  • Em 1802, o engenheiro francês Matthieu Favier fez uma proposta para a construção de um túnel: os passageiros atravessariam o túnel em carruagens puxadas por cavalos; o caminho seria iluminado por lanternas de óleo e uma ilha a meio do túnel forneceria ar fresco para os cavalos. O custo, mesmo nessa altura, seria de um milhão de libras.
  • Em 1875, Peter Barlow, construtor do primeiro caminho de ferro subterrâneo, sugeriu que se colocasse um tubo de aço gigantesco flutuando sobre o canal. A ideia foi rejeitada.
  • Em 1876 são levados a cabo extensos estudos geológicos.
  • Em 1880 a companhia ‘’South Eastern Railway’’ faz perfurações experimentais do lado inglês.
  • Em 1881 uma máquina de perfurações ‘’Beaumont’’ escava um túnel de 820 metros ao longo dos penhascos do lado inglês.
  • Em 1922 começam novamente escavações do lado inglês, mas após estarem feitos 128 metros de túnel, foram lançadas objecções políticas e as obras pararam mais uma vez.

Foi só após o fim da Segunda Guerra Mundial que os técnicos acreditaram que o conhecimento tecnológico existente era o suficiente para a construção do túnel e começaram a dar-lhe a devida atenção.



O túnel actual

Estudo


Em 1957, foi formado o Grupo de Estudo para o Túnel do Canal (Channel Tunnel Study Group). No seu relatório, publicado em 1960, recomendava-se a construção de dois túneis ferroviários principais e um de serviço, mais pequeno. O projecto foi iniciado em 1973 mas, devido a problemas de financiamento, foi interrompido em 1975 quando já estavam construídos 250 metros de um túnel de teste.

Em 1984, a ideia foi relançada com uma proposta conjunta dos governos inglês e francês, para a construção do túnel com fundos privados. Das quatro propostas apresentadas, foi escolhida a que mais se assemelhava ao anterior projecto de 1973 e foi anunciada ao público em 20 de Janeiro de 1986. Em 12 de Fevereiro de 1986, os governos dos dois países, assinaram em Canterbury, o Fixed Link Treaty que foi ratificado em 1987.

O percurso planeado, ligava Calais na França a Folkestone na Inglaterra. Na maior parte do seu percurso, o túnel encontra-se a 40 metros abaixo do fundo do mar, sendo a secção sul mais funda do que a secção norte.

Construção

A escavação do túnel demorou sete anos e empregou 15.000 trabalhadores, sendo as operações conduzidas simultaneamente dos dois lados. O empreiteiro principal foi a TransManche Link, um consórcio que englobava 10 empresas e 5 bancos de ambos os países. Foram usadas grandes máquinas, tunnel boring machine (TBM). Estas máquinas, eram autênticas fábricas móveis que abriam o túnel, retiravam as terras e escoravam as paredes com betão. Quando as TBM’s se encontraram, sensivelmente a meio do túnel, a máquina francesa foi desmantelada, enquanto que a inglesa foi derivada para as rochas e aí, abandonada. Quase 4 milhões de metros cúbicos de cal foram escavados só do lado inglês; a maior parte foi deitada ao mar em Shakespeare Cliff, perto de Folkestone tendo com isso, roubado ao mar cerca de 360.000 m2.

O Túnel da Mancha é constituído por 3 túneis paralelos, dois principais ferroviários e um mais pequeno, de acesso. Este túnel de acesso, que é servido por veículos mais pequenos, é ligado ao outros através de passagens transversais em intervalos regulares para permitir que os trabalhadores da manutenção tenham acesso aos túneis principais e para fornecer uma saída de emergência em caso de acidente.

Detalhes Finais

O encontro dos dois túneis 40 metros abaixo do solo do Canal da Mancha em 1 de Dezembro de 1990, num crossover (passagens que permitem comboios passar de um túnel a outro), tornou possível caminhar em terra seca de Inglaterra à Europa pela primeira vez desde o fim da última glaciação, mais de 13 mil anos atrás. Os ingleses e franceses, usando métodos de cálculo e pesquisa a laser, encontraram-se com menos de 2 cm de erro.

O túnel foi oficialmente aberto pela Rainha britânica Elisabeth II e pelo Presidente francês François Mitterrand, em 6 de Maio de 1994.

Estatísticas

O túnel possui 50 km de comprimento, sendo que 39 deles estão debaixo do mar. A profundidade média é 40 metros abaixo do solo do mar. Foi aberta para uso comercial ainda em 1994, e os comboios carregam ambos veículos e passageiros. Quase 7 milhões de passageiros fazem a travessia de 35 minutos todo ano.

A Sociedade Americana de Engenheiros Civis declararam o túnel uma das sete maravilhas do mundo moderno.

Incêndio

O único sério incidente no Eurotúnel aconteceu em 18 de Novembro de 1996, quando o fogo se alastrou num comboio transportando camiões. Os passageiros foram evacuados num comboio vindo na direcção oposta. Ninguém morreu, devido à acção rápida das autoridades francesas e britânicas, mas o fogo causou sérios danos ao túnel e aos trilhos, num raio de 200 metros do acidente. O túnel foi reaberto para uso limitado em 21 de Novembro do mesmo ano, mas transporte de passageiros ficou temporariamente paralisado.



Operação


O túnel é operado por Eurotunnel plc.
Existem quatro distintos tipos de serviço:


  • Eurostar: um comboio de passageiros de alta velocidade. Liga a estação londrina de comboios de Waterloo (ironicamente nomeada em referência à última das batalhas napoleónicas, entre o Reino Unido e a França) com a Estação do Norte (Gare du Nord) em Paris, e a estação Midi/Zuid, em Bruxelas, com paragens em Ashford, Calais e Lille.

  • Le Shuttle: transporta carros, autocarros e veículos comerciais através do túnel (como se fosse um ferry-boat, balsa), serviço entre Calais (França) e Folkstone (Inglaterra).

  • Transporte de camiões: carrega camiões no comboio (que viajam em vagões abertos), e os motoristas viajam em autocarros, separados dos seus veículos.

  • Serviço de transporte de carga convencional.

Apesar de comboios do Eurostar viajarem em alta velocidade na França (onde os carris são modernos e especialmente feitos para os comboios TGV que viajam a uma velocidade de 300 km/h) e dentro do túnel (a uma média de 160 km/h), a velocidade em terras inglesas, especialmente perto da cidade de Kent, é limitado pelos carris de baixa velocidade usado pelos comboios. O governo britânico instituiu um projecto (Channel Tunnel Rail Link, Ligação de Carril ao Túnel do Canal, em português), com parte das  suas verbas vindas do governo, cujo objectivo é construir uma linha de comboio de Londres até à entrada do túnel, especialmente dedicada aos comboios de alta velocidade do Eurostar. No final de 2003, aproximadamente metade da linha estava completa (secção de Kent a Cheriton).

Busca por Asilo

O túnel tornou-se um meio popular em pessoas que buscam asilo, com a esperança que as hipóteses de receberem asilo sejam maiores no Reino Unido do que na França,  entrando ilegalmente no Reino Unido. Houve algumas tentativas de tais pessoas que tentaram caminhar ao longo do túnel ou entrar nos comboios (de passageiros) ilegalmente, mas a maioria prefere tentar esconder-se em vagões de carga ou em camiões usando o túnel. Em 2002, as autoridades britânicas adicionaram um sistema sofisticado de microfones em Kent, esperando ouvir os batimentos cardíacos ou a respiração de tais pessoas. No começo de 2003, o governo britânico pressionou as autoridades francesas a fecharem o centro para pessoas que buscam asilo em Sangatte, que incentiva tais pessoas a entrar ilegalmente no Reino Unido, na opinião dos britânicos.

O Eurotúnel em Filmes

Dado seu status como um dos maiores feitos de engenharia do século XX, é talvez surpreendente o facto que o Eurotúnel não se tornou um ícone cultural (apesar de ser claramente uma das maravilhas do mundo moderno tal como a Ponte Golden Gate, em São Francisco; ou o prédio Empire State, em Nova Iorque). O clímax do filme Missão Impossível, em que Tom Cruise, acima de um vagão de um comboio em alta velocidade é caçado por um helicóptero, dentro no que é supostamente o Eurotúnel.

Tal cena (gerada com a ajuda de computadores) contém muitos erros (além da clara impossibilidade de tal voo). Dois dos mais significantes erros são o uso de um TGV francês dentro do "Eurotúnel" - tais comboios não operam no túnel  -  e mostrando um único túnel rectangular com duas linhas de comboio. De facto, o Eurotúnel usa dois túneis fisicamente separados, para ambas as direcções de viagem.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Publicado por: Praia da Claridade às 00:07
Link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 20 de Outubro de 2005

A osteoporose

Osteoporose02.jpg

O Dia Mundial da Osteoporose
é celebrado em todo o mundo no dia 20 de Outubro.


O QUE É

É uma doença que atinge os ossos. Ocorre quando a quantidade de massa óssea diminui substancialmente e desenvolve ossos ocos, finos e de extrema sensibilidade, mais sujeitos a fracturas. Faz parte do processo normal de envelhecimento e é mais comum em mulheres que em homens. A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas.
Se não forem feitos exames...
Aconselhe-se com o seu médico.
 
 
Coluna
 
As pessoas idosas podem fracturar as vértebras da coluna com frequência. A chamada corcunda de viúva é uma deformação comum e pode até levar à diminuição de tamanho do doente.
 
Pulso
 
Por ser um ponto de apoio, é uma área na qual as fracturas acontecem normalmente. Os ossos sensíveis têm pouca estrutura para sustentar o peso do corpo quando cai.

Quadril

Outro ponto fraco entre os que têm a doença. As fracturas de bacia são difíceis de cicatrizar e podem levar à invalidez. Estudos mostram que em torno de 50% dos que fracturam o quadril não conseguem mais andar sozinhos.
 
Fémur
 
Também muito comum entre os que desenvolvem a doença. É frequente tanto em homens quanto em mulheres, principalmente depois dos 65 anos. A recuperação costuma ser lenta.
 
 
A MASSA ÓSSEA
 
O aparecimento da osteoporose está ligado aos níveis hormonais do organismo. O estrogénio - hormonas femininas, também presente nos homens, mas em menor quantidade - ajuda a manter o equilíbrio entre a perda e o ganho de massa óssea.
 
As mulheres
 
São as mais atingidas pela doença. Na menopausa, os níveis de estrogénio caem bruscamente. Com isso, os ossos passam a incorporar menos cálcio (fundamental na formação do osso), tornando-se mais frágeis. Para cada quatro mulheres, um homem desenvolve o mal.
 
 
SINTOMAS
 
A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas. Se não forem feitos exames sanguíneos e de massa óssea, é percebida apenas quando surgem as primeiras fracturas, acompanhadas de dores agudas. A osteoporose pode, também, provocar deformidades e reduzir a estatura do doente.
 
 
QUEM TEM MAIS RISCO DE DESENVOLVER A DOENÇA

-  Mulheres.
-  Pessoas de raça branca.
-  Fumadores.
-  Os que consomem álcool ou café em excesso.
-  Diabéticos.
-  Os que se exercitam em excesso.
 
 
OSSO NORMAL

Embora pareçam estruturas inactivas, os ossos modificam-se ao longo da vida. O organismo está constantemente fazendo e desfazendo ossos.
Esse processo depende de vários factores como: genética, boa nutrição, manutenção de bons níveis de hormonas e prática regular de exercícios.
 
As células ósseas
 
Os osteócitos são células responsáveis pela formação do colagénio, que dá sustentação ao osso. Os canais que interligam os osteócitos permitem que o cálcio, essencial para a formação óssea, saia do sangue e ajude a formar o osso.
 
 
O OSSO COM OSTEOPOROSE
 
A densidade mineral (de cálcio) é reduzida de 65% para 35% quando a doença se instala. O canal medular central do osso torna-se mais largo. Com a progressão da osteoporose, os ossos podem ficar esburacados e quebradiços.
 
As células ósseas doentes
 
Com a osteoporose, o colagénio e os depósitos minerais são desfeitos muito rapidamente e a formação do osso torna-se mais lenta. Com menos colagénio, surgem espaços vazios que enfraquecem o osso.
 
 
PREVENÇÃO
 
Fazer exercícios físicos regularmente. Actividades desportivas aeróbias são as mais recomendadas.
 
Dieta com alimentos ricos em cálcio - como leite e derivados; verduras, como brócolos e repolho, camarão, salmão e ostra.
 
A reposição hormonal do estrogénio em mulheres na menopausa consegue evitar a osteoporose.
 
 
TRATAMENTO
 
Reposição hormonal
 
Importante tanto durante a prevenção quanto durante o tratamento.
O estrogénio reduz o risco de fracturas em mulheres com osteoporose.
 
Administração de cálcio
 
Para quem já tem a doença, o cálcio pode ser dado em dosagens de 1 mil miligrama a 1,5 mil miligramas por dia, com recomendação médica.
 
Calcitina
 
É uma hormona que tem a função de evitar que o cálcio saia dos ossos. Decresce assim o processo de corrosão que a doença provoca no osso.
 
Para estar ciente do que deve fazer, consulte o seu médico.
 
A densitometria óssea é avaliação do grau da osteoporose.

Fonte: Wikipédia.
 

Publicado por: Praia da Claridade às 00:13
Link do post | comentar | ver comentários (5)
Quarta-feira, 19 de Outubro de 2005

A Coluna Vertebral

ColunaVertebral.jpg 


A coluna vertebral é formada por várias vértebras que é ligada por articulações que são divididas por discos.
Esses discos são constituídos de material fibroso e gelatinoso que desempenham a função de amortecedores e dão mobilidade para nos locomover, correr ou mesmo quando saltamos. A coluna vertebral serve de apoio para outras partes do esqueleto.
A n
ossa medula nervosa passa por um canal que existe nas vértebras e por esse motivo ela está protegida.
A coluna vertebral é constituída de vértebras que se articulam; sendo assim, podemos realizar vários movimentos.

Quando é vista de frente a coluna vertebral é recta, e quando vista de lado forma duas curvaturas em forma de S. Essa curvatura dá o equilíbrio adequado ao homem para se manter na posição vertical.

A região cervical é constituída por sete vértebras localizadas no pescoço. A primeira vértebra chama-se Atlas e articula-se com o crânio, e isso possibilita que se movimente.

A região torácica é constituída de doze vértebras que servem de inserção para as costelas.

A região lombar é constituída por cinco vértebras grandes e é nesta região onde suporta a maior carga.

Ainda existe a região sacrococcigiana que é composta pelo osso sacro que é resultado da soldadura de cinco vértebras que também serve de articulação para o osso do ilíaco que se articula com o fémur.

O osso cóccix é formado pela soldadura das últimas quatro vértebras.


Alguns desenvolvimentos do exposto acima:


As vértebras

São os
ossos que compõem a coluna vertebral dos vertebrados. Normalmente, existem 33 vértebras no ser humano, incluindo as cinco que se encontram fundidas e formam o sacro, e as quatro coccígeas. As três regiões superiores compreendem as restantes 24 vértebras e são agrupadas segundo cervicais (7 vértebras), torácicas (12 vértebras) e lombares (5 vértebras), de acordo com a zona em que se encontram. Este número é por vezes aumentado por uma vértebra adicional numa região, ou diminuído numa região, sendo que esta deficiência é frequentemente compensada por uma vértebra extra noutra região. O número de vértebras cervicais é, no entanto, muito raramente aumentado ou diminuído.

O pescoço

O pescoço é a parte do
corpo dos vertebrados que une a cabeça ao tronco. É formado pelas sete vértebras cervicais que articulam com o crânio, com as clavículas e com a porção inferior (ou posterior) da coluna vertebral e é suportado por vários músculos que dão à cabeça os seus movimentos.

No seu interior encontram-se a laringe e a traqueia e, por trás destas, a parte superior do esófago; na parte frontal, estas estruturas e ainda a glândula tiróide são protegidas, de cima para baixo, pelo osso ióide, a cartilagem tiróide que, no homem, toma vulgarmente o nome de “maçã de Adão” e a cartilagem cricóide. Lateralmente, por baixo da pele, notam-se os músculos esterno-mastóides, os dois ramos da artéria carótida e da veia jugular e a glândula submaxilar, por baixo da mandíbula.

Apesar destas protecções, o pescoço é um dos pontos fracos dos vertebrados uma vez que, seccionando-o, o animal perde a vida, não só pela perda de grande quantidade de sangue, como principalmente por deixar de haver comunicação entre o cérebro e o resto do corpo. O enforcamento é outra forma de terminar a vida dum animal, por sufocação; esta acção também pode ser realizada voluntariamente, como uma forma de suicídio.

As costelas

São ossos alongados, comparáveis a arcos, que se estendem da coluna vertebral até o esterno, ao qual se unem através das cartilagens costais. Há doze de cada lado. As seis primeiras articulam-se na frente com o esterno por meio de uma cartilagem, que lhes é própria ( costelas verdadeiras ). Da sétima à décima costela elas se unem através de suas cartilagens a uma cartilagem comum, que se articula com o esterno ( costelas falsas ).  A 11ª. e a 12ª. costela não se articulam com o esterno ( costelas flutuantes ).

Região Sacrococcigiana

Em
anatomia, chama-se região sacrococcigiana à porção terminal (posterior, nos animais quadrúpedes, ou inferior nos bípedes) da coluna vertebral.

No homem, é constituída por dois ossos:

  • o sacro que é resultado da soldadura de cinco vértebras grandes, que articula com a última vértebra da região lombar e também serve de articulação para o ilíaco; e
  • o cóccix é formado pela soldadura das últimas quatro vértebras.

Nos vertebrados com cauda (com excepção das aves, que têm a anatomia desta região semelhante aos bípedes), esta é formada pela maior parte das vértebras desta região.

O fémur

É o
osso mais longo e mais volumoso do corpo humano, e localiza-se na coxa. Também é o osso mais resistente.
O fémur consiste da
diáfise, da epífise proximal que se prolonga, através de um pescoço, até uma cabeça (esférica)  -  que o articula com o osso do quadril  -  e da epífise distal que se divide em dois côndilos, que se ligam à tíbia e à patela.
Uma pessoa de 1,80m tem um fémur de aproximadamente 50cm.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Publicado por: Praia da Claridade às 00:08
Link do post | comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 18 de Outubro de 2005

O Estreito de Gibraltar



EstreitoGibraltar.jpg 

ESTREITO DE GIBRALTAR  - imagem de satélite

 

ESTREITO_GIBRALTAR_Relevo_ imagem NASA.jpg

ESTREITO DE GIBRALTAR  (relevo) - imagem NASA.



O Estreito de Gibraltar é um estreito que separa o Oceano Atlântico do Mar Mediterrâneo. Ao norte encontra-se a Espanha e Gibraltar, ao sul Marrocos e Ceuta. Era conhecido na antiguidade como "Os Pilares de Hércules". Algumas ilhas, como a Isla Perejil, são disputadas pela Espanha e por Marrocos. A sua profundidade é de 300 m. A sua largura mínima é de 13 km.

Etimologia

O estreito, assim como o rochedo de Gibraltar, deve o seu nome a uma deformação de djebel Tarik, de Tarik ibn Ziad, que em 711 atravessou o estreito para atacar a Espanha visigótica, primeira incursão muçulmana na Península Ibérica.

Geopolítica

O estreito de Gibraltar tem uma posição estratégica muito importante. Navios que navegam do Atlântico para o Mediterrâneo e vice versa passam através deste estreito, contemplado por Gibraltar. Muitas pessoas que viajam da Europa para a África e vice-e-versa fazem-no através do estreito.

Túnel

Durante anos a Espanha e Marrocos têm estudado conjuntamente a possibilidade de construção de um túnel sob o canal, similar ao túnel do  Canal da Mancha  entre a Inglaterra e a França. Um novo estudo de três anos foi anunciado em 2003.
Fonte: Wikipédia


............................................................................................................................................................
Publicado por: Praia da Claridade às 00:18
Link do post | comentar | ver comentários (2)

O crânio

Craneo.jpg



crânio ou crâneo é um invólucro de tecidos mais ou menos rígidos que, nos animais do clade Craniata (a que pertencem os vertebrados e outros de filogenia próxima), envolve o cérebro, os órgãos do olfacto, da visão, o ouvido interno e serve de suporte aos órgãos externos dos aparelhos respiratório e digestivo.

Filogenia ou filogênese descreve a origem e a
evolução das espécies.
A tarefa principal dos filogenistas é determinar os relacionamentos ancestrais entre espécies conhecidas (tanto as que vivem quanto as
extintas).

O crânio pode considerar-se formado por duas partes principais que, aparentemente correspondem a duas etapas da
evolução:

  • a caixa craniana ou neurocrâneo – a parte que envolve o cérebro e os órgãos dos sentidos (com excepção do paladar); e
  • o maciço frontal, esplancnocrânio ou branchiocranio – a parte que suporta a boca e o aparelho branquial.

Ao longo da filogénese foram-se estabelecendo relações cada vez mais estreitas entre estas duas partes do crânio, através de articulações chamadas "suspensões":



  • Suspensão anfistílica – em que tanto o palato-quadrado como o iomandibular se articulam com o neurocrâneo, como em alguns peixes Chondrichthyes;
  • Suspensão iostílica – em que apenas o iomandibular se articula com o neurocrâneo, como na maior parte dos peixes, incluindo alguns tubarões e no esturjão;
  • Suspensão autostílica – em que o neurocrâneo e o esplancnocrâneo tendem a fundir-se como na maior parte dos tetrápodes.

As modificações evolutivas do esplancnocrâneo reflectem as do I e II arcos viscerais durante a ontogénese. O osso iomandibular (porção dorsal do II arco visceral) é o que, nos peixes participação na suspensão iostílica; nos anfíbios, répteis e aves o II arco visceral transforma-se no primeiro dos três ossinhos do ouvido médio (columella), enquanto que o I arco visceral mantém a sua função de sustentar a abertura bucal; nos mamíferos, o articular e o quadrado, provenientes do I arco visceral, transformam-se no martelo e no estribo, completando assim a cadeia de ossinhos do ouvido médio.

Nos mamíferos, a articulação maxilo-mandibular forma-se a partir do
dental e da escamado temporal. Nos répteis e mamíferos, as coanas (interior das narinas) passaram para a parte de trás da cavidade bucal para a formação do palato secundário, septo ósseo que separa as vias respiratórias do tubo digestivo. Nas aves, o palato secundário tende a desaparecer, provavelmente pela falta de dentes e existência do bico.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Publicado por: Praia da Claridade às 00:06
Link do post | comentar

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags