Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

12
Jun05

Factos históricos de hoje

Praia da Claridade

1667

Um francês chamado Antoine Mauroy foi o primeiro ser humano a receber uma transfusão de sangue.

1875

Apareceu a personagem "Zé Povinho" na revista "A Lanterna Mágica", o primeiro jornal de crítica diário. O seu autor é Rafael Bordalo Pinheiro. Assim, o "Zé Povinho" faz hoje, dia 12 de Junho 2005, 130 anos.

1914

A primeira reportagem aérea no Brasil foi feita em 12 de Junho de 1914, com os repórteres do jornal “A Noite”, Paulo Cleto e Freitas Pitombo. O avião, pilotado pelo Ten Ex Ricardo João Kirk, sobrevoou a cidade do Rio de Janeiro.

1985

"Foi no Mosteiro dos Jerónimos, a 12 de Junho de 1985, que ficou escrito que Portugal iria passar a fazer parte da Comunidade Económica Europeia (CEE), organização que, na época, começava a ganhar balanço para passar de uma estrutura organizativa essencialmente económica para uma comunidade política de países com interesses comuns. Um percurso longo de uma União que atravessa agora uma fase crucial de incertezas quanto ao modelo a seguir. A integração efectiva foi a 1 de Janeiro de 1986."-Jornal de Notícias-

12
Jun05

Anne Frank

Praia da Claridade
Anne Frank  nasceu em 12 de Junho de 1929 e faleceu em 31 de Março 1945).
Foi uma rapariga judia obrigada a viver escondida dos nazis durante o Holocausto. Ela e a sua família, juntamente com mais quatro pessoas, viveram 25 meses, durante a Segunda Guerra Mundial, num anexo de quartos por cima do escritório do seu pai, em Amesterdão, na Holanda, denominado Anexo Secreto.

O seu diário é um dos documentos mais importantes do século passado. E pensar, que antes de ser tão importante, era somente um livrinho de capa xadrez vermelha e linhas verdes delicadas!

Ao fim de longos meses de silêncio e medo aterrorizante, acabou por ser denunciada aos Nazis e deportada para os campos de concentração nazis. Primeiro foi levada juntamente com a família para Westerkerk, na Holanda, antes de serem deportados para o leste da Europa. Anne Frank foi deportada inicialmente para Auschwitz, juntamente com os pais, irmã e as outras pessoas com quem se refugiava na casa de Amesterdão (hoje casa-museu). Depois levaram-na para Bergen Belsen, juntamente com a irmã, separando-a dos pais. Em 1945, nove meses após a sua deportação, Anne Frank morre de tifo em Bergen Belsen. A irmã, Margot Frank tinha falecido também vítima do tifo e da subnutrição duas semanas antes de Anne. Tinha 15 anos. Morre 2 semanas antes de o campo ser libertado.

O seu diário, guardado durante a guerra por Miep Gies, foi publicado pela primeira vez em 1947. O diário está actualmente traduzido em 67 línguas e é um dos livros mais lidos do mundo. A casa em Amesterdão onde se escondeu e escreveu o diário é hoje um museu visitado por pessoas do mundo inteiro.

Hoje, é o mais famoso símbolo do Holocausto.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Um fragmento do Diário de Anne Frank:

     ”Depois de Maio de 1940 os bons tempos foram poucos e muito espaçados: primeiro veio a guerra, depois a capitulação, e em seguida a chegada dos alemães, e foi então que começaram os problemas para os judeus. Nossa liberdade foi seriamente restringida com uma série de decretos anti-semitas: os judeus deveriam usar uma estrela amarela; os judeus eram proibidos de andar nos bondes; os judeus eram proibidos de andar de carros, mesmo que fossem carros deles; os judeus deveriam fazer suas compras entre três e cinco horas da tarde; os judeus só deveriam frequentar barbearias e salões de beleza de proprietários judeus; os judeus eram proibidos de sair às ruas entre oito da noite e seis da manhã; os judeus eram proibidos de comparecer a teatros, cinemas ou qualquer outra forma de diversão; os judeus eram proibidos de frequentar piscinas, quadras de ténis, campos de hóquei ou qualquer outro campo de atletismo; os judeus eram proibidos de ficar em seus jardins ou nos de seus amigos depois das oito da noite; os judeus eram proibidos de visitar casas de cristãos; os judeus deveriam frequentar escolas judias etc. Você não podia fazer isso ou aquilo, mas a vida continuava.”


CONTEXTO HISTÓRICO

O Diário De Anne Frank é escrito durante a Segunda Guerra Mundial, onde Hitler perseguia os judeus, e estes foram perseguidos durante anos pelos alemães. É uma época rígida, onde mulheres e crianças não tinham quase direito algum, onde moças e rapazes quase não se falavam e onde os avós, os pais, os tios, enfim, o homem mais velho e responsável do lar era o líder. Era uma época em que o Nazismo acontecia e com isso a vigilância em cima dos judeus era forte. Anne Frank pode escrever seu diário durante apenas dois anos. Ela e sua família tiveram que fugir para não serem mortos. Na segunda publicação de seu diário, houve a necessidade de serem cortados alguns itens escritos por Anne como, por exemplo, dados sobre a sua sexualidade e as suas vontades. Era uma época de morais, onde não se ousava falar de sexo com jovens e onde os jovens (principalmente mulheres) não "podiam" ter vontade própria.

Publicado originalmente em 1947, O Diário de Anne Frank já foi lido por milhões de pessoas em todo o mundo. É comovente descobrir que, no contexto tenebroso do nazismo e da guerra ela viveu problemas e conflitos de uma adolescência de qualquer tempo e lugar. No livro acompanha-se o desabrochar da sexualidade de Anne, a relação conflituosa que a jovem tinha com a mãe e a sua admiração sem reservas pelo pai.

Anne Frank registou admiravelmente a catástrofe que foi a Segunda Guerra Mundial. O seu diário está entre os documentos mais duradouros produzidos neste século mas é também uma narrativa terna e incomparável, que revela a força indestrutível do espírito humano.
11
Jun05

Vasco Gonçalves - Faleceu hoje !

Praia da Claridade
Vasco dos Santos Gonçalves  (3 de Maio de 1921 - 11 de Junho de 2005) foi um militar (General) e um político português.

Surgiu no Movimento dos Capitães em Dezembro de 1973, numa reunião alargada da sua comissão coordenadora efectuada na Costa da Caparica. Coronel de engenharia, viria a integrar a Comissão de Redacção do Programa do Movimento das Forças Armadas. Passou a ser o elemento de ligação com Costa Gomes.
Membro da Comissão Coordenadora do MFA, foi, mais tarde, primeiro-ministro de sucessivos governos provisórios (II a V). Tido geralmente como pertencente ao grupo dos militares próximos do PCP, perdeu toda a sua influência na sequência dos acontecimentos do 25 de Novembro de 1975.
Como primeiro-ministro, foi o mentor da reforma agrária, das nacionalizações dos principais meios de produção privados, do salário mínimo e do 13.º mês.

Tornou-se conhecido pela sua célebre frase: «Ou se é pela revolução ou se é pela reacção! Não há cá terceiras vias...».
O seu protagonismo durante os acontecimentos do Verão Quente de 1975 levou os apoiantes do gonçalvismo a inclusive comporem uma cantiga em que figurava o seu nome: «Força, força, companheiro Vasco, nós seremos a muralha de aço!».
Morreu a 11 de Junho de 2005, ( HOJE ! ) aos 83 anos, quando nadava numa piscina no Algarve, aparentemente devido a uma síncope.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
11
Jun05

Jacques Cousteau

Praia da Claridade

Jacques-Yves Cousteau  (nasceu em 11 de Junho de 1910, em Saint André de Cubzac, França — faleceu em 25 de Junho de 1997, em Paris), ex-oficial da marinha francesa, foi um dos inventores, juntamente com Émile Gagnan, do aqualung, o equipamento de mergulho autónomo que substituiu os pesados escafandros, e também participou como piloto de testes da criação de aparelhos de ultra-som para levantamentos geológicos do relevo submarino e de equipamentos fotocinematográficos para trabalhos em grandes profundidades. Suas actividades como mergulhador e pesquisador recebem inúmeras acusações de agregarem pesquisas para o fornecimento de informações privilegiadas para a CIA sobre o terreno, a fauna e flora dos locais visitados, principalmente da Amazónia.

Ele conquistou o Oscar em 1956 com o documentário "O mundo Silencioso", filmado no Mediterrâneo e no Mar Vermelho. Mas o próprio Cousteau confessa que, nos seus primeiros filmes, não tinha nenhum tipo de preocupação ecológica. Golfinhos eram mortos e usados como iscas para conseguir imagens melhores dos tubarões. No total, foram quatro longas-metragens e setenta documentários para a televisão.

Em 1965, Cousteau criou uma casa submarina onde seis pessoas viveram por um mês a cem metros de profundidade.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
10
Jun05

Recomeçar !... VOLTEI ... em DIA DE PORTUGAL

Praia da Claridade
align=left>color=#006600>face=georgia>size=4>Recomeçar !
size=2>
face=verdana size=3>Hoje é um bom dia  -  Dia de Portugal  -  para recomeçar o meu blog que tem estado em "silêncio"...
size=1>
Quando nos trancamos na tristeza nem nós mesmos nos suportamos.... Ficamos horríveis.size=1>
O mal humor, a tristeza, os problemas de saúde, vão comendo o nosso fígado, até a boca ficar amarga...
size=1>
Tanta gente questionou o meu "período de isolamento"...
Tanta gente esperando pelo meu regresso...
Tanta gente que me apoiou durante esta ausência...
Não cito nomes. A todos os que notaram que o meu blog "parou" e que directamente me apoiaram, e esses sabem perfeitamente a quem me dirijo... os que continuaram comigo, os que se preocuparam... os meus sinceros agradecimentos, do fundo do coração. Bem hajam !
Mas também não pretendo colocar de parte os visitantes "silenciosos", eu sei que há muitos... que não preenchem os comentários...
size=1>

Pois é !...  Agora é hora de reiniciar...



size=1>
face=Georgia color=#000080>face=Verdana color=#000000 size=2>color=#000080 size=3>size=4>
VOLTEI...
face=Georgia color=#000080>face=Verdana color=#000000 size=2>color=#000080 size=3>
size=1>
size=4>Voltei a escrever...
Cada linha que escrevo,
uma lição eu aprendo.
E sigo aprendiz... Escrevendo.
size=1>

size=4>Vejo as emoções renascendo...
A vida me tem mostrado
muitos testes-testados
e, tudo o que sempre quis,
foi escrever...
size=1>

size=4>Perceber sem ver,
sentir sem ouvir
e viver sem deixar de crer
que esperança há.
size=1>

size=4>Transformando os meus sonhos
em realidade,
tudo gira em torno da saudade
e da vida gloriosa que eu vivi...
Junto a ti, leitor.
size=1>

size=4>Em sonhos: vendo as estrelas no céu,
Sob a luz do luar,
Escutando as ondas do mar...
Chuá, chuá, chuá...
Pura ilusão? Não.
Tudo tem uma razão de ser.
A vida me ensina
e esta é a minha sina... Escrever !...




size=1>
face=times size=1>gABRIELAgABI/2004





height=14 alt=Barra_comprida_animada.gif src="http://galeria.blogs.sapo.pt/arquivo/Barra_comprida_animada.gif" width=432 border=0>
color=#000080>size=4>
color=#996600>DIA  DE  
color=#006600>PORT
color=#ff0000>UGAL



face=Georgia color=#000080>color=#0000ff size=4>color=#000080>Dez de Junho para nós
É um dia especial,
Em todo o mundo lusófono,
É dia de Portugal.
size=1>
A causa mais valorosa,
Das nossas celebrações,
É fazer a homenagem
A Luís Vaz de Camões.
size=1>
As Lusas Comunidades,
Em cada Junho que passa,
Com grande patriotismo
Exaltam a nossa Raça.
size=1>
Os portugueses ausentes,
Pelo mundo em qualquer lado,
Comemoram esta data
Com todo o significado.
size=1>
Honram com solenidade,
Deste dia, a importância,
Talvez por estarem ausentes,
Lhe dêem mais relevância.
size=1>
Evoca-se assim a Pátria,
Por toda a parte em geral.
Onde houver um português
Aí... está Portugal !...
size=1>


size=1>Euclides Cavaco




























Pág. 5/5

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D