Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2006

Relâmpago

Descarga eléctrica
Descarga eléctrica



Um raio é uma descarga eléctrica que se produz entre nuvens de chuva ou entre uma destas nuvens e a terra. A descarga é visível com trajectórias sinuosas e de ramificações irregulares ás vezes com muitos quilómetros de distância, fenómeno conhecido como relâmpago. Ocorre também uma onda sonora chamada trovão.

Estes fenómenos são produzidos pelas diferenças de potencial nas atmosferas da Terra e de outros planetas. Um exemplo de ocorrência de raios noutros planetas é em Júpiter, cujas tempestades são detectadas da Terra através de radiotelescópios, tal a sua magnitude.

Em geral os raios ocorrem para restabelecer o equilíbrio das massas electrónicas entre: as nuvens entre si, entre as nuvens e o solo ou entre o solo e as nuvens.

O raio ocorre no momento em que as cargas eléctricas atingem energia suficiente para superar a resistência eléctrica do ar, ocorrendo então a descarga de forma explosiva, luminosa e violenta.

Alguns afirmam que foram os raios que ao causar incêndios tiraram os primatas das árvores e mais tarde mostraram aos primeiros humanos a importância do fogo na alimentação. Foi a partir de uma tempestade de raios seguidos de um grande incêndio que a ilha de Porto Santo, no arquipélago da Madeira, pôde ser avistada do continente africano.

Desde a mais remota antiguidade os raios encantam a humanidade com o seu aspecto ameaçador e ao mesmo tempo intrigante, que acabou por ser utilizado nos mitos e lendas como elemento de demonstração da existência de deuses poderosos como o grego Zeus por exemplo.

Zeus é o Senhor dos Céus e
Deus Supremo da Mitologia Grega. Filho mais novo de Cronos, Rei dos Titãs, e Rhea(Réia), nascido no Monte Ida, Ilha de Creta.

Benjamin Franklin comprovou a hipótese da origem eléctrica dos raios concebendo os pára-raios com a finalidade de proteger as edificações da acção dos raios.Foi no século XVIII praticamente o início do estudo sistemático da electricidade. Naquela época não se conhecia uma teoria que explicasse o fenómeno das tempestades e os raios que nelas se manifestavam.

Pára-raios é um sistema de condutores metálicos, inventado em 1753 por Benjamin Franklin, que capta as descargas eléctricas atmosféricas e as desvia para o solo a fim de evitar danos a edifícios. Como o raio tende a atingir o ponto mais alto de uma área, o pára-raios é instalado no topo do prédio. Liga-se ao chão por cabos de pequena resistência. Chama-se também pára-raios o aparelho destinado a proteger instalações eléctricas contra o efeito de cargas excessivas (sobretensões) e descarregá-las na terra.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:11
Link do post | comentar
3 comentários:
De Anónimo a 19 de Janeiro de 2006 às 21:31
Há muito tempo que não vejo uma trovoada a sério.
Parece que em Lisboa não damos tanto por elas. Quando vivia numa vila da província,os raios que se viam correr sobre os montes e o troar dos trovões eram medonhos! Foi o grande pavor da minha infância! Luisa
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:luisa34@netcabo.pt)


De Anónimo a 19 de Janeiro de 2006 às 18:04
Obrigada por ter vindo até ao nosso blog com uma palavra avisada e nada de relâmpagos.Continuo a não ter o problema da música resolvida. Tenho de tirar um tempo e estudar o assunto a sério.jo
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:mjoaojara@sapo.pt)


De Anónimo a 19 de Janeiro de 2006 às 13:24
Caro amigo ;) investigador...isso é que foi desde primatas a Deuses...que pesquisa;). Para mim só é pena uma coisa. Apesar da sua beleza visual (e de ser necessária por vezes) e tenho pavor de tovoada :(, mas isso sou eu ;) e o meu medo n interfere com a tua belissima pesquisa...(só para variar). Beijinho ***oteudoceolhar
(http://oteudoceolhar.blogs.sapo.pt)
(mailto:joanstar@sapo.pt)


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags