Quinta-feira, 11 de Maio de 2006

O Pólen

 
Grãos de pólen variados aumentados 500 vezes
 
Grãos de pólen variados, aumentados 500 vezes
 
 

O pólen  (do grego "pales" = "farinha" ou "pó")  é o conjunto dos minúsculos grãos produzidos pelas flores das plantas angiospérmicas (ou pelas pinhas masculinas das gimnospérmicas), que são os elementos reprodutores masculinos ou microgametófitos, onde se encontram os gâmetas que vão fecundar os óvulos, para os transformar em frutos.
 
As principais características das Angiospermas incluem óvulos e grãos de pólen encerrados em folhas modificadas, inteiramente fechadas sobre eles, respectivamente o carpelo e a antera. Estes órgãos podem encontrar-se juntos ou separados em estruturas especializadas, as flores.
 
Os grãos de pólen são normalmente arredondados, embora os dos pinheiros sejam alados, e podem ser muito pequenos, apenas alguns micra (equivale à milésima parte do milímetro). O mais pequeno grão de pólen conhecido é o do Myosotis, com cerca de 6 μm (0.006 mm) de diâmetro. A forma e ornamentação dos grãos de pólen é típica de cada família ou mesmo espécie de plantas.
 
O pólen contém uma grande proporção de proteínas (16 a 40 %) contendo todos os aminoácidos conhecidos, assim como numerosas vitaminas, principalmente as vitaminas C e PP, sendo a principal fonte de alimentação das abelhas. Outro importante produto fabricado com pólen é a geleia real. Esta composição do pólen pode ser responsável pelas alergias que lhe são atribuídas.
 
O estudo do pólen é a palinologia
 
 
Estrutura e formação do pólen
 
Os grãos de pólen são produzidos por meiose no microsporângio das plantas angiospérmicas, que é o estame, ou a escama masculina das gimnospérmicas.
 
Meiose:  tipo de divisão celular na qual o número de cromossomas é reduzido a metade através de duas divisões sucessivas, constituindo uma parte do ciclo de vida em que é assegurado que, durante a fecundação, o número de cromossomas da espécie permanece constante de geração em geração.
 
Cada grão de pólen é um gametófito que contém dois núcleos haplóides, um maior que corresponde a uma célula vegetativa e outro menor que é o verdadeiro anterozóide, que vai fecundar o óvulo.
 
Esta célula "dupla" encontra-se encerrada numa cápsula de celulose, a intina, recoberta por um invólucro muito resistente de esporopolenina, um biopolímero ligado a ceras e proteínas.
Esta camada externa é denominada exina e é composta de três partes:
 
>  tectum,  que contém os elementos esculturais que dão a forma exterior ao grão de pólen;
>  columelas,  uma estrutura em forma de colunas; e
>  base,  uma estrutura sólida formada sobre a intina.
 
Este invólucro possui ainda pequenas aberturas (pontos de menor resistência) por onde sairá o tubo polínico, que penetra no estigma para fecundar o óvulo.
 
 
Polinização
 
A transferência dos grãos de pólen dos órgãos onde são produzidos até à estrutura reprodutiva feminina (o carpelo das angiospérmicas ou a escama feminina das gimnospérmicas) chama-se polinização.
 
Durante o processo evolutivo, as plantas desenvolveram várias estratégias reprodutivas, para assegurar a sua multiplicação e colonização dos habitates. As espermatófitas, ou seja, as plantas que produzem flores, apresentam várias modalidades de polinização como estratégias reprodutivas:
 
Autopolinização - algumas espécies de plantas admitem a germinação dos grãos de pólen no estigma da mesma flor que o produziu, ou em outras flores da mesma planta; esta estratégia diminui as possibilidades de recombinação genética, mas assegura que maior número de óvulos sejam fecundados.
 
A maior parte das espécies, no entanto, desenvolveu estratégias para aumentar as possibilidades de recombinação - a transferência dos grãos de pólen por elementos exteriores à flor:
 
>  Polinização anemófila - realizada pelo vento - estas plantas produzem grande número de grãos de pólen, muito leves ou com extensões da exina, como os grãos de pólen alados dos pinheiros, que lhes permitem ser transportados para flores de plantas que se encontram a maior distância da que os produziu, portanto com maior probabilidade de terem um genoma diferente;
 
>  Polinização entomófila - realizada por insectos - as flores possuem características que atraem os insectos, tais como nectários, coloração ou cheiro especiais;
 
> Polinização hidrófila - realizada pela água - este tipo de polinização é mais frequente nas plantas aquáticas.
 
 
Alergias ao pólen
 
Rinite alérgica.
Também conhecida por sinusite alérgica ou febre dos fenos.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Publicado por: Praia da Claridade às 00:07
Link do post | comentar
9 comentários:
De Sindarin a 11 de Maio de 2006 às 09:34
Oh meu querido Filipe! Eu sou uma mto sensível e todos estes mimos são demais para mim. A ti meu fiel e eterno amigo ñ dou só o meu coração mas a minha alma se dela precisares um dia. Lá está todo o amor e todo o carinho que dedico a amigos sinceros como tu. Um bem haja pela tua amizade e pela tua presença na minha vida. Sendo assim...estamos os dois de parabéns por nos termos cruzado neste emaranhado de emoções. Obrigado por tudo!


De NakedMoon a 11 de Maio de 2006 às 11:16
Tudo isso é a causa desta renite!!!... Um abraaaaço


De soaresesilva a 11 de Maio de 2006 às 12:29
A natureza é maravilhosa! Como dum pequeno grão de "pó" pode nascer tanta vida!


De Paola Vannucci a 11 de Maio de 2006 às 14:29
hahaahahahahahaahahahaahahahahaahahahaa,

Vc é meu fã número 1, neu Freitas querido, hahahahaahahahahaah somente adoro rir um pouco que seja.....

Não sabia que a produção de pólens são produzidos por meiose, magnifico........

Meu querido, tenha um dia muito realizador.......
Amo vc

Paola


De arodla2006 a 11 de Maio de 2006 às 18:06
Viva os grãos de pólen, para tantas coisas nascerem, flores lindas, arvores, e o mel que as abelhas fazem com eles, mesmo com alergias ainda bem que a natureza não pára de trabalhar.
Bj
Aldora


De jo a 11 de Maio de 2006 às 19:03
Vim aqui só para te deixar um abraço que não chegará, seguramente, com o polen das flores do teu post.
Abraço


De mariaelisaramos@sapo.pt a 11 de Maio de 2006 às 20:54
Olá amigo Filipe!..Tudo bem consigo,só isso já é importante,quanto ãos pólens,felismente não tenho problemas,sobre os mesmo,mas muitas pessoas sofrem imenso,principalmente os asmáticos,esses sim,mas a Natureza tem os seus quês,pois os insetos,tem que labutar para fazer o mel,de que a gente tanto gosta e tanto geito faz para as constipações,e por vezes adoçar o nosso chá ou então o nosso café.
Amigo bom fim de semana para si e seus.
beijinho da Amiga.Maria Elisa


De Martuxa a 11 de Maio de 2006 às 21:00
Tou xeia de alergia =(
Atchim
Sorrisos e beijos


De TiBéu ( Isa) a 12 de Maio de 2006 às 10:36
Olá
Penso que nunca tinha passado por aqui, mas achei muito útil o teu blog, e este post está espectacular. bj bom fim de semnana Tibeu


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags