Sábado, 1 de Abril de 2006

Dia das Mentiras


Há muitas explicações para o dia 1 de Abril se ter transformado no Dia das Mentiras. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da Primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de Abril.
 
Em 1564, depois da adopção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de Janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de Abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.
 
Em países de língua inglesa o dia das mentiras costuma ser conhecido como April Fool's Day ou Dia dos Tolos, na Itália e na França ele é chamado respectivamente pesce d'aprile e poisson d'avril, o que significa literalmente "peixe de Abril".
 
Superstições
 
Tradicionalmente, supõe-se que as peças encerrem a meio-dia. Supõe-se que os feitos posteriormente tragam a má sorte ao perpetrador. Contudo, isto não é universalmente aceite, e muitas peças já foram praticadas depois do meio-dia.
 
Alguém que não consegue aceitar os truques, ou tirar proveito deles dentro do espírito da tolerância e do divertimento também deve sofrer com a má sorte. Também se diz que aquele que for enganado por uma bonita menina será recompensado com o matrimónio, ou pelo menos a amizade dela.
 
Outro mito ou a superstição diz que o matrimónio no Dia das Mentiras não é uma boa ideia e que um homem que se case nessa data será para sempre controlado pela esposa.
 
Actualidade
 
A Internet faz com que seja difícil de saber se uma peça é perpretada antes ou depois do meio-dia. Os fusos horários são diferentes em partes diferentes do mundo. O 1 de Abril (ou primeiro de Abril) não acontece simultaneamente em todo o mundo.
 
Pessoas não-residentes no ocidente pouco conhecem o costume do Dia das Mentiras e são mais vulneráveis a peças na Internet.
 
Boatos
 
Muitas organizações de mídia propagaram inconscientemente ou deliberadamente peças no Dia das Mentiras. Mesmo agências de notícias sérias consideram esse dia uma brincadeira normal, e uma tradição anual.
 
O advento da Internet como um meio de comunicação mundial serviu para facilitar os traquinas no seu trabalho...
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Publicado por: Praia da Claridade às 00:15
Link do post | comentar
4 comentários:
De Dalva a 1 de Abril de 2006 às 11:22
Oi Filipe...obrigada pela visita aos blogs..breve (nesta semana que entra) estarei aí..do outro lado do oceano.. em visita às minhas filhas (França e Alemanha).. rsrs
"não é mentira"
um grande abraço!!


De soaresesilva a 1 de Abril de 2006 às 14:07
Achei muito interessante a história do dia das mentiras, que desconhecia. Aqui limitamo-nos a ver qual será a mentira que "pregam" na televisão ou nos jornais. Já tenho caído...


De Sindarin a 1 de Abril de 2006 às 17:49
Olá Filipe! Td bem? Mto interessante esta história do dia das mentiras...Passei para admirar e aprender alguma coisa como sempre! Bjs e bom fim de semana. Obrigado pela tua visita e por ñ estares zangado


De isa&luis a 1 de Abril de 2006 às 18:40
Olá menino, percorrer o teu cantinho é gratificante. Obrigada pela partilha. Desconhecia completamente a historia do dia das mentiras.

Bom fim de semana

jinho

Isa


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags