Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

09
Mar06

Incontinência urinária

Praia da Claridade
De forma geral a incontinência urinária ou  ( IU ) ocorre quando, a pressão dentro da bexiga excede aquela que se verifica dentro da uretra ou seja há um aumento considerável da pressão para urinar dentro da bexiga, isso ocorre durante a fase de enchimento do ciclo de micção.

É definida como a perda involuntária de urina, provocando por vezes certo constrangimento à pessoa.
A incontinência urinária também pode ser designada de Enurese. E ocorre com certa frequência à noite, principalmente entre os idosos.


Tipos

Existem vários tipos de IU. Os três mais comuns são:

Bexiga hiperactiva, causada por contracções inadequadas do músculo detrusor durante a fase de armazenamento do ciclo miccional - Processo inicial anterior ao acto de urinar;

Incontinência de esforço, relacionada com a disfunção do esfíncter uretral, ou seja um afrouxamento muscular do esfíncter;

Incontinência mista, que resulta da combinação destas duas situações.


Há outros tipos de IU que incluem:

Incontinência de sobrefluxo - Quando o excesso de urina normalmente retido na bexiga, sai involuntariamente;

Gotejamento pós-miccional - Causado em parte por disfunção do esfíncter;

Incontinências diurna e nocturna (enurese nocturna), nas crianças - Ocorre com maior frequência em crianças devido a um estado emocional de insegurança por exemplo ou inflamação da bexiga.


Incidência

A incidência é variada, em ambos os sexos e idade, porém o facto de ocorrer com maior incidência em pessoas idosas, não significa em ser essa uma doença de idoso, pois também ocorre muito frequentemente em crianças.

Enurese nocturna na infância

A incidência de enurese nocturna diminui progressivamente na infância. Aos 6 anos de idade, 5% das crianças apresentam enurese nocturna.

Enurese nocturna na infância e estágio de sono

A criança com enurese nocturna urina durante os estágios de sono não-REM (estágios 2, 3, e 4 de sono).

Tratamento

Consiste numa assistência médica por parte de um urologista, que diagnosticará a doença e aplicará a forma de tratamento mais adequada. Podendo em alguns casos haver a necessidade de intervenção de um Psicólogo ou Psicanalista.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D