Sexta-feira, 3 de Março de 2006

A Chuva

Chuva é um fenómeno meteorológico que consiste na precipitação de água sobre a superfície da Terra. A chuva forma-se nas nuvens. Nem todas as chuvas atingem o solo, entretanto: algumas evaporam-se enquanto estão ainda a cair, num fenómeno que recebe o nome de virga e acontece principalmente em períodos/locais de ar seco.

A chuva tem papel importante no ciclo hidrológico. A quantidade de chuvas é medida usando um instrumento chamado pluviómetro, de funcionamento simples: a boca de um funil de área conhecida faz a colheita das gotas de chuva e acumula-as num reservatório colocado abaixo do funil. Um observador vem no tempo de amostragem (1 vez por dia, 4 vezes por dia, etc.), e com uma pipeta com escala graduada, mede o volume de água acumulado no período. Por exemplo, ele pode ter medido que caiu 25 mm por metro quadrado nas últimas 24 horas.

Pluviómetro



Convenção meteorológica de medida de chuva
  • 1 mm de chuva equivale a 1 litro de água em 1 metro quadrado por hora
No Sistema Internacional de Unidades de Medida utiliza-se a taxa de precipitação expressa em unidades do SI, nesse caso dada em: (kg/m2/s).

Durante a formação da precipitação, gotas pequenas crescem por difusão de vapor de água, a seguir elas podem crescer por captura de gotas menores que se encontram na sua trajectória de queda.

Descargas eléctricas ocorrem principalmente em nuvens de grande desenvolvimento vertical como os Cumulus Nimbus, nas quais se encontram além de gotas, também cristais de gelo nas mais variadas formas.

Os cristais de gelo podem unir-se para formar flocos de neve e outros hidrometeoros em nuvens super-congeladas.


Tipos de precipitação

Há dois tipos básicos de precipitação: estratiformes e convectivas.

As precipitações podem estar associadas a diferentes fenómenos atmosféricos sob diferentes escalas de desenvolvimento temporal e espacial. Por exemplo:
  • Chuvas frontais são causadas pelo encontro de uma massa fria com outra quente (e húmida), típicas das latitudes médias, como as de Inverno no Brasil Meridional.
  • Chuvas de convecção são provocadas pela intensa evapo-transpiração de superfícies húmidas e aquecidas (como florestas, cidades e oceanos tropicais). O ar ascende em parcelas de ar que arrefecem de forma praticamente adiabaticamente (sem trocar calor com o meio exterior) durante a sua ascensão. A precipitação convectiva é comum no Verão brasileiro, na Floresta Amazónica e no Centro Oeste. Sobre a Região Metropolitana de São Paulo também ocorrem tempestades convectivas associadas à entrada de brisa marítima ao final da tarde com graves consequências sobre as centenas de áreas de risco ambiental. Estas chuvas também são conhecidas popularmente como pancadas de chuva, aguaceiros ou torós.
  • Chuvas orográficas ocorrem quando os ventos húmidos se elevam e arrefecem pelo encontro de uma barreira montanhosa, como é normal nas encostas voltadas para o mar. São comuns nos litorais, paranaense (Paraná) e catarinense (Santa Catarina). Esse tipo de precipitação pode estar associada à presença do efeito Föhn, que condiciona a existência de áreas mais secas a sotavento dessas barreiras.Efeito Föhn  ou Sombra de Chuva (Rainshaddow effect), também conhecido por Chinook, consiste numa área normalmente cercada por montanhas que apresenta índices de precipitação bastante inferiores à da área em sua volta.

Gotas de chuva caindo


As gotas de chuva


As gotas de chuva não se parecem nada com lágrimas, como se pensa. As mais pequenas, com menos de 1mm de raio, são esféricas. As que crescem mais, começam-se a deformar na parte de baixo, porque a pressão do ar puxando para cima na queda começa a conseguir contrariar a tensão superficial que a tenta manter esférica. Quando o raio excede cerca de 4 mm, o buraco interior cresce tanto que a gota, antes de se partir em gotas mais pequenas, fica com uma forma que quase parece um pára-quedas: a forma de um saco de paredes finas voltado para baixo, com um anel mais grosso de água em roda da abertura inferior.

As gotas de chuva são muito maiores do que as gotículas das nuvens que são geralmente menores que 15 mícron de tamanho e podem ficar suspensas no ar por muito tempo.
Como são muito maiores e mais pesadas, as gotas de chuva não ficam suspensas no ar e dão origem à precipitação.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Publicado por: Praia da Claridade às 00:09
Link do post | comentar
2 comentários:
De Anónimo a 3 de Março de 2006 às 15:25
Hoje aprendi mais uma coisas sobre a chuva. Aqui em Lisboa está a cair mas muito lavemente. Não sei é classificá-la...Luisa
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:luisa34@netcabo.pt)


De Anónimo a 3 de Março de 2006 às 15:25
Hoje aprendi mais uma coisas sobre a chuva. Aqui em Lisboa está a cair mas muito levemente. Não sei é classificá-la...Luisa
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:luisa34@netcabo.pt)


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags