Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

PRAIA DA CLARIDADE

Figueira da Foz - Portugal

22
Mar05

Dia Mundial da Água

Praia da Claridade
Água é Vida - 22 de Março, Dia Mundial da Água

Foi a existência de água na Terra que permitiu o aparecimento da vida. Foi a partir de pequenas moléculas, caídas nos oceanos há milhares de anos, que apareceram os primeiros seres vivos. Quando os cientistas procuram descobrir se há vida noutros planetas, procuram saber se neles existe água. Nem nós, nem os restantes animais e plantas, poderíamos viver sem ela. Com uma pequena grande diferença: enquanto alguns animais e plantas conseguem resistir à falta de água durante largos períodos de tempo, armazenando-a ou reduzindo determinadas funções biológicas, no que diz respeito ao Homem, podemos estar sem ingerir alimentos várias semanas, mas não resistiremos mais de três dias sem beber. O nosso corpo tem cerca de 70% de água e a desidratação provocada pelo funcionamento de certos órgãos obriga à ingestão diária de uma certa quantidade de água. 

As plantas também necessitam de água que, posteriormente, perdem por evapotranspiração; a água dos oceanos também se evapora sob a acção do calor solar, formando as nuvens. As nuvens movem-se para regiões mais frias onde a água aparece novamente, precipitando para o solo, sob a forma de chuva ou granizo. É esta água que formará os rios, alimentará as albufeiras, podendo igualmente infiltrar-se no solo formando caudais subterrâneos e alcançando de novo os oceanos, onde o processo recomeçará. O ciclo da água mantém-se desde o início da vida na Terra e a quantidade de água é hoje igual à que era nesses tempos.

É também através do ciclo da água que se preserva a sua qualidade já que permite a sua autodepuração, garantindo a sua qualidade. Mas esta é uma realidade do passado, o Homem ao interceptar o normal funcionamento deste ciclo, polui a um ritmo muito mais acelerado do que aquele a que a água se consegue autodespoluir.
Desde a chamada Era Industrial que, em nome do progresso, desviamos cursos de água, poluímos rios, lagos, lençóis de água. De tal modo que a sua utilização excessiva, as irregularidades na distribuição espacial e temporal, a poluição, estão a provocar danos irreparáveis em muitas regiões do mundo, quer do ponto vista biogeográfico quer económico.

Se a água fosse bem administrada, não obstante o aumento da população mundial, seria suficiente para todos. Porém, o aumento do consumo não pára: construir um automóvel - 1500 litros, lavá-lo - 200 litros e lavar os dentes? E a loiça? e tomar duche? Será que sabe quanto consome diariamente em actos tão simples e mecânicos? 

Está nas mãos dos jovens tomar consciência de que não a devem gastar inutilmente e, mais tarde, tomar decisões sobre melhores processos para a recuperar e distribuir igualmente por todos os povos. 

A água será, segundo muitos, e exemplos já não faltam, o petróleo do século XXI, constituindo um factor de conflito a nível regional. Sabe-se que a água é um factor de progresso e desenvolvimento, mas o que é certo é que 1 bilião de pessoas continua a não ter acesso à água potável. Se nada for feito, metade da população mundial ficará sem água por volta de 2030.

É necessário poupar hoje para ter amanhã.
 

Jovens Repórteres para o Ambiente, sob a orientação da professora Ana Jorge
http://srec.azores.gov.pt/dre/sd/115161010600/aguaevida.htm

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D