Quarta-feira, 20 de Dezembro de 2006

Massacre de Lisboa de 1506

 
Massacre de Lisboa de 1506 - Uma das duas únicas gravuras sobreviventes ao Terramoto de Lisboa 1755 e ao incêndio da Torre do Tombo: “Von dem Christeliche - Streyt, kürtzlich geschehe - jm. M.CCCCC.vj Jar zu Lissbona - ein haubt stat in Portigal zwischen en christen und newen chri - sten oder juden , von wegen des gecreutzigisten [sic] got.” (Da Contenda Cristã, que Recentemente Teve Lugar em Lisboa, Capital de Portugal, Entre Cristãos e Cristãos-Novos ou Judeus, Por Causa do Deus Crucificado”)
 
Massacre de Lisboa de 1506
Uma das duas únicas gravuras sobreviventes ao Terramoto de Lisboa 1755 e ao incêndio da Torre do Tombo:
“Von dem Christeliche - Streyt, kürtzlich geschehe - jm. M.CCCCC.vj Jar zu Lissbona - ein haubt stat in Portigal zwischen en christen und newen chri - sten oder juden , von wegen des gecreutzigisten [sic] got.”
 
(Da Contenda Cristã, que Recentemente Teve Lugar em Lisboa, Capital de Portugal, Entre Cristãos e Cristãos-Novos ou Judeus, Por Causa do Deus Crucificado”)
 

 
 
 

E já passaram 500 anos !...
 
 
No Massacre de Lisboa de 1506 (ou a matança da Páscoa de 1506), que sucedeu há 500 anos, uma multidão movida pelo fanatismo religioso perseguiu, violou, torturou e matou entre duas mil a quatro mil pessoas, acusadas de serem judias. Isto sucedeu antes da inquisição começar e nove anos depois da conversão forçada dos judeus em Portugal em 1497, durante o reinado de D. Manuel I.
 
Uns 93 mil judeus encontraram refúgio em poucos anos em Portugal depois da expulsão pelos reis católicos de Espanha em 1496.
 
O Rei D. Manuel I mostrava uma atitude mais tolerante para com o judaísmo, mas sob a pressão de Espanha, também em Portugal (1497) os judeus foram forçados a converter-se.
 
A historiografia situa o início da matança no Mosteiro de São Domingos (Santa Justa), no dia 19 de Abril de 1506, um domingo, quando os fiéis rezavam pelo fim da seca e da peste que tomavam Portugal, alguém jurou ter visto no altar o rosto de Cristo iluminado - fenómeno que, para os católicos presentes, só poderia ser interpretado como uma mensagem de misericórdia do Messias, um milagre.
 
Um cristão-novo (judeu obrigado a converter-se ao catolicismo sob pena de morte) que também participava da missa tentou explicar que a luz era apenas o reflexo do sol, mas foi calado pela multidão, que o espancou até a morte.
 
A partir daí os judeus da cidade foram o bode expiatório da determinada situação de seca, fome e peste: sucederam três dias de massacre, incitados por frades dominicanos que prometiam absolvição dos pecados dos últimos 100 dias para quem matasse os "hereges".
 
Por causa da peste, a corte estava em Abrantes quando o massacre começou. D. Manuel I tinha-se posto a caminho de Beja, para visitar a mãe. Terá sido avisado dos acontecimentos em Avis, logo mandando magistrados para tentar pôr fim ao banho de sangue. Com o rei fora, os poucos representantes da autoridade eram também postos em causa e, em alguns casos, obrigados a fugir.
 
Como consequência homens, mulheres e crianças, foram torturados, massacrados, violados e queimados em fogueiras improvisadas no Rossio. Os judeus foram acusados entre outros "males", de deicídio e de serem a causa da profunda seca e da peste que assolava o país. A matança durou três dias, de 19 de Abril a 21 de Abril na Semana Santa de 1506, e só acaba quando é morto um judeu que era escudeiro do rei, João Rodrigues Mascarenhas, e as tropas reais acabam por chegar para pôr ordem.
 
D. Manuel I penaliza os envolvidos, confiscando-lhes os bens e os dominicanos instigadores são condenados à morte e há indícios de que o Convento de S. Domingos (da Baixa Lisboeta) teria sido fechado durante oito anos.
 
No seguimento deste massacre, do clima de crescente Anti-Semitismo em Portugal e do estabelecimento da Inquisição - o Tribunal da Inquisição entrou em funcionamento em 1540 e perdurou até 1821 - muitas famílias judaicas fugiram ou foram expulsas do país, sendo o destino mais acolhedor a Holanda e um destino secundário, mas importante, o Brasil.
 
Mesmo expulsos da Península Ibérica, os judeus só podiam deixar Portugal mediante o pagamento de "resgate" à Coroa. No processo de emigração, os judeus abandonavam as suas propriedades ou as
vendiam-nas por preços irrisórios e viajavam apenas com a bagagem que conseguissem carregar.
 
Massacre de Lisboa de 1506 na historiografia
 
O Massacre de Lisboa de 1506 ficou como que apagado da memória colectiva, um pedaço de vergonha esquecida que não está nos livros de História, caiu no esquecimento e são poucos os historiadores que lhe fazem referência. O horror e a violência foram descritos e reproduzidos por Damião de Góis, Alexandre Herculano, Oliveira Martins, Garcia de Resende, Salomon Ibn Verga e Samuel Usque.
 
Damião de Góis in «Chronica do Felicissimo Rey D. Emanuel da Gloriosa Memória»:
 
« No mosteiro de São Domingos da dita cidade estava uma capela a que chamava de Jesus, e nela um crucifixo, em que foi então visto um sinal, a que davam cor de milagre, com quanto os que na igreja se acharam julgavam ser o contrário dos quais um cristão-novo disse que lhe parecia uma candeia acesa que estava posta no lado da imagem de Jesus, o que ouvindo alguns homens baixos o tiraram pelos cabelos de arrasto para fora da igreja, e o mataram, e queimaram logo o corpo no Rossio. Ao qual alvoroço acudiu muito povo, a quem um frade fez uma pregação convocando-os contra os cristãos-novos, após o que saíram dois frades do mosteiro, com um crucifixo nas mãos bradando, heresia, heresia, (...) tirando-os delas de arrasto pelas ruas, com seus filhos, mulheres, e filhas, os lançavam de mistura vivos e mortos nas fogueiras, sem nenhuma piedade, e era tamanha a crueza que até nos meninos, e nas crianças que estavam no berço a executavam, tomando-os pelas pernas fendendo-os em pedaços, e esborrachando-os de arremesso nas paredes. »
Fonte: Wikipédia. 
 

..........................
Publicado por: Praia da Claridade às 00:00
Link do post | comentar
8 comentários:
De smareis a 20 de Dezembro de 2006 às 03:35
Eita saudade desse cantinho lindo, maravilhoso e encantador.
Desculpa minha ausencia,, mais não esqueci de vc.
Foi uma correria minha vida de um lado e outro , viajei pra resolver problemas familiares, tive que voltar a fazer exercicios fisico pra fortalecer uma fratura que tive num acidente... E agora minha familia está de luto pela perda de 3 pessoas muito querida e amada. Durante esses meses aprendi que a vida é o maior presente que Deus nós deu, devemos cuidar com muito carinho como se fosse a maior preciosidade.
Vou estar voltando depois do natal e Ano Novo com meus blogs se Deus quizer.
Desejo um natal cheio de muita paz e luz pra vc e sua familia, e que no Ano de 2007 vc possa estar realizando todos desejos de seu coração.
Feliz natal!
Feliz Ano Novo!
Beijos em seu coração!
Smareis
_______________*** Paz
______________**** Amor
_____________****** Saúde
____________******** Alegria
___________********** Sucesso
__________************ Amizade
_________************** Esperança
________**************** Prosperidade
_______________|__|
_______________|__|
_______(`'•.¸(`'•.¸...¸.•'´)¸.•'´)
________> FELIZ NATAL
_______(¸.•'´(¸.•'´... `'•.¸)' •.¸)


De Praia da Claridade a 23 de Dezembro de 2006 às 01:55
Smareis !!! Finalmente que você aparece !!! Que saudades de visitar o seu blog !
Não sei se vai ler esta minha resposta, porque o seu blog está desactivado há muito tempo para o visitar. Lamento todos esses problemas que me conta e tenha esperança por melhores dias. Aguardando o seu retorno aos blogs desejo para você um Feliz Natal e que o ano de 2007 seja muito melhor do que este que está a terminar.
Muita Alegria, Saúde, Paz, Amor. Felicidades.
Beijos.


De aldoramira a 20 de Dezembro de 2006 às 18:26
Olá o tempo não é muito mas quis vir aqui porque sei com quanto esforço fazes a publicação diaria,
na verdade nada sabia sobre a inquisição em Portugal, na verdade sempre escondemos o que não nos interressa na nossa história, somos quanto a mim uns cobardes pois não gostamos de assumir as coisas más.
Bj
Arodla


De Cöllyßry a 20 de Dezembro de 2006 às 19:07
Tragico e arripias-te, como o que se vive em Paises distante...Dejeso dias de Paz e armonia...bjo


De marius70 a 20 de Dezembro de 2006 às 20:54
Como se pode ver por este teu artigo, a Igreja Apostólica Romana era muito "tolerante".

Hoje essa mesma Igreja que violou, matou, espoliou milhares de seres inocentes chama de fundamentalistas as outras religiões que, como ela, mata, espolia e viola outros seres inocentes.

«Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço» já dizia Santo Agostinho, assim é a Igreja Apostólica Romana.

Boas Festas e um Santo Natal


De Maria Elisa a 20 de Dezembro de 2006 às 21:17
Amigo Filipe,um pouco arrepiante, este texto escrito por ti,e de grande significado,pois o meu amigo fez uma pesquisa,de algo que a história não fala ou se fala pouco,mas como sempre a Igreja,católica tem muita culpa!..Pena é não assumir as suas desgraças,pois levou há morte seres humanos,pois não importa ser de que religião for,ou cor? Mas sim massa humana,não poderemos criticar o que se passa pelo mundo fora pois se nós,nos portamos tão mal..
Amigo beijo coração,e bem aja pelo trabalho no BLOG.
Maria Elisa


De soaresesilva a 20 de Dezembro de 2006 às 22:10
Verdadeiros horrores se fizeram em nome da religião! Não nos podemos pois admirar que, também pela defesa das suas crenças, tantas atrocidades se façam no mundo mulçumano. A diferença é que muitos séculos se passaram e as mentalidades já deviam ser outras.


De zelerias a 20 de Dezembro de 2006 às 23:51
Esta foi certamente uma página vergonhosa da nossa história.

Um abraço.


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Figueira da Foz
PORTUGAL




Os meus outros cantinhos
Clique nas duas imagens:
 



  Clique na imagem seguinte
        para ver o vídeo do

    Mar da Figueira da Foz


       Fonte Luminosa
       Figueira da Foz

      
Video: Filipe Freitas



SELO da minha Praia
..... pode levá-lo .....




Músicas



PRAIA da CLARIDADE nasceu em:

30/Janeiro/2005

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags

Hora e Temperatura locais (clique, veja a sua zona)

Click for Coimbra, Portugal Forecast

........ Anjo da Paz ........

Anjo da PAZ

Blogues Amigos



À Beira Mar


A Iluminura


A Magia das Palavras


A Papoila


A Serpente Emplumada


Acerca do Mundo


Amicus Ficaria


Ana Luar


Arodla 2006


As the world turns


Barão da Tróia


Bella Mistura


Bióloga Poetisa


Blog da Berenice


Blog da Dalva


Blog das Trevas


Blogamizade


Blog Blogs SAPO


Boanova


Cantinho da Florinda


Cantinho da TiBéu


Canto da Conchita


Chica Ilhéu - Açores


Chuviscos


Cidália Santos


Competências


Confraria das Bifanas


Continua a Sorrir


Dador de Madula Óssea


Deixa-me !...


Doença de Parkinson


Domínio dos Anjos


Dreamers of the Night


Ecos do Tempo


Escrevinhando com o Coração


Eterna Parte de Mim


Evasões Bárbaras


Ex-Improviso


Fadinha Arodla


Fallen Angel - Marisocas


Fátima Cidade de Acolhimento


Floresta de Lórien


FLP - Aloé Vera


Formas & Meios


Formiguinha Atómica


Gatinhos Voadores


Ideias e Ideais - Terceira


Isis


Janela Aberta


José Lessa


Lua e Estrela


Mar y Sol


Menina Marota


Momentos a Dois


Mudar o Template


Noites do Amanhecer


O Atónito


O Estrelado


O PALHETAS -Figueira da Foz-


O Sal da Nossa Pele


O Sino da Aldeia


O Teu Doce Olhar


Paraquedista


Paredes de Coura


Parkinson Campinas


PAVANN


Por Terras do Rei Wamba


Princesa do Mar


Putoreguila


Quinto Poder


Rumo ao Sul


Sabor Latino


Sabor da Cozinha


Segunda Vida


Sem Imaginação


Sentimentos


Som & Tom


Sombreiro


Terena, vila Alentejana


Uma caracol falante


Virtual Realidade






Utilitários



FIGUEIRA DA FOZ
on-line

O seu browser não suporta flash. Necessita instalar o "plug-in".



Meteorologia




Portal dos Sites