Sábado, 28 de Outubro de 2006

Caminho-de-Ferro

 
Inauguração do Caminho-de-ferro em Portugal (28 de Outubro de 1856) - Aguarela de Alfredo Roque Gameiro

Inauguração do Caminho-de-Ferro em Portugal (28 de Outubro de 1856)
Aguarela de Alfredo Roque Gameiro
 
 

A tarde de 28 de Outubro de 1856, ficou para a História de Portugal como o início da circulação de comboios em Portugal.
 
A 1ª viagem teve o seu inicio em Lisboa - Santa Apolónia - com destino ao Carregado, tendo o percurso de cerca de 40 quilómetros demorado 40 minutos.

Hoje,  28 de Outubro de 2006, o Caminho de Ferro público português assinala 150 anos sobre a sua primeira viagem.
 
George Stephenson é conhecido como o pai dos caminhos de ferro britânicos e que projectou a sua primeira locomotiva em 1814. Após 1825, data da construção da primeira linha-férrea em Inglaterra, defendeu-se a sua introdução em Portugal, como uma das formas de modernizar o país.
 
Espaço aberto aos Entusiastas do Caminho de Ferro:
Empresa CP Comboios de Portugal.
 
 
                                      
 
  
_____________________________________________________________________
 
Caminho-de-ferro
é um sistema de transporte baseado em trens ou comboios correndo sobre carris previamente dispostos. O transporte ferroviário é predominante em regiões altamente industrializadas, como a Europa, o extremo leste da Ásia e ainda em locais altamente populosos como a Índia. As ferrovias são o meio de transporte terrestre com maior capacidade de transporte de carga e de passageiros. Em muitos países em desenvolvimento da África e da América Latina, as ferrovias foram preteridas pelas auto-estradas como tipo de transporte predominante.
  
Vias-férreas
 
As vias-férreas são compostas por dois trilhos ou carris (peças de aço, fixadas de forma paralela entre si) destinados ao trânsito de veículos especialmente projectados para tal, como bondes (carro eléctrico tradicional em grandes cidades), vagonetes, litorinas (veículo de transporte ferroviário dotado de motor, também é chamada automotora, comboios ou trens, etc.
 
No caso de tráfego de comboios ou trens a vias denominam-se ferrovias ou caminhos-de-ferro.
 
A distância entre os trilhos de uma via-férrea é denominada bitola.
 
A bitola da via, vulgarmente chamada apenas de bitola, é a distância entre as faces interiores das cabeças dos carris. Em Portugal, como na Espanha, usa-se uma bitola comum de 1668 mm, chamada de bitola ibérica. Recentemente, passaram-se a usar dispositivos de mudança de bitola nos trens que vão para a França (onde se usa a bitola internacional).
 
Engenharia Ferroviária
 
A maioria das linhas-férreas é formada por dois carris paralelos geralmente feitos de aço, dispostos perpendicularmente sobre travessas de madeira ou betão (material da construção civil composto por uma mistura de cimento, areia, pedras britadas e água) assentes em balastro ou lastro (camada de pedra britada sobre o qual assenta o conjunto das travessas). As rodas dos trens ou comboios encaixam-se nos carris, mantidos a uma distância específica constante, a bitola, como se disse acima. A função das travessas é manter os carris na mesma bitola, para evitar distâncias irregulares. Os acidentes provocados pela saída das rodas dos carris são chamados descarrilamentos.
 
No transporte ferroviário, um trem ou comboio consiste em um ou vários veículos (carruagens ou vagões), ligados entre si e capazes de se movimentarem sobre uma linha ou carril, para transportarem pessoas ou carga de um lado para outro, segundo uma rota previamente planeada.
 
O percurso das ferrovias é pontuado por estações, gares, ou terminais, dispostos em locais estratégicos, como concentrações populacionais (cidades, vilas, povoados) ou de produção (fazendas, indústrias, portos).
Fonte: Wikipédia. 
 
 
Publicado por: Praia da Claridade às 00:59
Link do post | comentar
15 comentários:
De soaresesilva a 28 de Outubro de 2006 às 12:39
Tenho pena que de há 30 anos para cá se tenham desenvolvido as estradas em detrimento do comboio. É um meio de transporte muito menos poluente e que evitaria as longas filas de veículos por essas estradas fora e os muitos acidentes. Parece que agora se vai avançar para o TVG mas é pena não se desenvolverem mais as linhas secundárias.


De soaresesilva a 28 de Outubro de 2006 às 12:42
Deixaste no nosso blog um comentário muito sentido e expressivo sobre a saudade. Não concordo com o autor que diz ser a saudade um sentimento exclusivamente português. Saudade sentem todas as pessoas em toda a parte do mundo no momento em que sentem a falta dum bem que já tiveram.


De isa&luis a 28 de Outubro de 2006 às 19:21
Olá menino,

Obrigada pela tua partilha, amei!
Hoje partilho também contigo um poema meu.

Mar


Mar… Ó Mar!
Sentada na areia dourada
Chamo por ti, embevecida.
A tua beleza fascina-me,
Rendo-me aos teus encantos
Enfeitiçada pelo teu perfume, maresia.
Corro na tua direcção, desnudada
Mergulho dentro de ti e arrepio-me.
Submersa provo o teu gosto, sinto a tua força
Entre lençóis brancos e ar rendilhados,
Bordados a fio de prata; deslizo no teu leito
Sendo possuída pela tua imensidão azul
Imirjo: despojada de um mundo sombrio
Eu renasço!
No horizonte o crepúsculo sorri e
A lua espreita timidamente
Ouvindo o teu marulhar de mãos dadas.
Os teus braços envolvem-me com violência
Mas eu não posso viver sem ti.


Beijinhos

Isa


De Praia da Claridade a 28 de Outubro de 2006 às 22:14
Do coração agradeço este lindo poema !
O Mar... o Mar que tanto me diz...
"Ó Mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal..."
E hoje, que me sinto bastante em baixo, não consegui suster as lágrimas lendo este teu poema.
Apetecia-me agora ter esse MAR diante de mim, com o seu perfume, a sua maresia, e a protecção da Lua e das Estrelas, que tão lindas estão agora, neste Céu sem fim...
Isa: o meu muito, muito obrigado !
Um bom fim de semana.
Beijinhos.
Filipe, neste momento, em


De Jofre Alves a 28 de Outubro de 2006 às 22:27
Quando em 1856 foi inaugurado a linha do caminho-de-ferro, Portugal estava somente atrasado 25 anos em relação à Europa – em termos ferroviários, claro. Em Inglaterra o comboio foi introduzido em 1825, em 1828 em França, em 1843 em Espanha, em 1856 na Suécia, etc. A discussão para a instalação da primeira linha ferroviária em Portugal foi acalorada e durou 20 anos de aturados debates!!! O percurso foi inaugurado com uma locomotiva que traccionava uma composição de 14 carruagens de madeira. A viagem até ao Carregado correu sem incidentes, mas o regresso foi problemático, com acidentes e avarias, sendo que muita gente regressou a pé, pela linha... Coisas da História.


De Praia da Claridade a 28 de Outubro de 2006 às 22:40
Agradeço estes elementos sempre úteis para a conhecer mais sobre o caminho-de-ferro.
Só espero que essa História não se repita agora com outros 20 anos de "aturados debates" para a construção do TVG !....
Filipe, com o da minha Praia.


De Chicailheu a 28 de Outubro de 2006 às 23:36
Muito interessante percorrer a ler, todo este percurso do desenvolviemnto do combóio!

Gostei imenso!
Beijos
Chicailheu


De oteudoceolhar a 29 de Outubro de 2006 às 00:00
Li nos gatinhos voadores que alguém tinha fugido de Santa Apolónia há 150 anos...ainda que eu ande a ver pouco os noticiários (e o artigo da Aldora d reflecte o porque de eu agir assim), vi hoje acerca do aniversário da Cp. Mais um artigo curioso e muito bem composto. Como sempre um verdadeiro investigador. Desculpa a ausência, infelizmente o tempo é pouco. Antigamente ainda conseguia ir comentando durante o dia no trabalho...hj estou noutro serviço a ocupar outras funções e para que não houvesse deslizes pedi para que a net fossse bloqueada parcialmente...teve de ser. vou tentar actualizar-me e voltar com a mesma frequência com que fazia. Beijo Filipe n´oteudoceolhar, espero que estejas bem...Bom Domingo*


De Poesia Portuguesa a 29 de Outubro de 2006 às 04:08
Pouca-terra-pouca-terra-uu...
Pouca-terra-pouca-terra-uu...

...fazia em menina, na estação de Sintra, enquanto esperava com o meu Avô o combóio que nos lavaria a Lisboa...
Beijo ;)


De Maria Elisa a 29 de Outubro de 2006 às 15:05
Olá meu bom amigo Filipe!..Como sempre estou presente,mas reparo que está um pouco em baixo,pois a sua amiga deseja para si toda (UMA PRAIA CHEIA DE CLARIDADE)só essa trás beleza para a vida,vamos erger um pouco.
Amigo sobre os comboios,eu ainda tenhosonhos de menina quando viajava-mos,muito de comboio,e eu do Porto gostava de atravessar do Porto para Vila Nova de Gaia só para ir de comboio,era da praxe!..Passados anos os filhos tiveram que ir de comboio de Guimarães para o Porto,porque senão choravam todo o dia se não os leva-se,mas todo este Historial dos Comboios é realmente uma beleza,agora vamos nós esperar pelo (TGV)para nos levar até a vizinha Espanha...por menos?mas vamos ver se vai ir para a frente ou esperar anos.
Amigo Filipe saúde do coração da sua amiga e bom domingo.
Maria Elisa


De ACACIO SIMÕES a 29 de Outubro de 2006 às 21:15
Estive a ver com a máxima atenção possível e não sei ainda responder ao que me perguntaste.
Quem foi?

Um abraço


De Praia da Claridade a 30 de Outubro de 2006 às 02:15
Quem "fugiu" de Lisboa, Santa Apolónia, há 150 anos ?.....
Então, Amigo Simões... a palavra "fugiu" na pergunta que lhe fiz está entre aspas, foi uma pergunta para descontrair, mas que tem a "resposta" exacta logo no início do meu artigo do dia 28 ... Tem que lá ir outra vez, porque esteve novamente muito calor aqui na Figueira da Foz e fiquei "mauzinho", não lhe vou dizer... LOL....
Um grande Abraço e uma boa semana !
Filipe, com o SOL da minha Praia.


De aldoramira a 29 de Outubro de 2006 às 22:17
Quando vi o teu comentário agora lembrei-me logo de responder a Maria Fumaça, pois é assim que Minha mãe onde está tem por hábito chamar.
Não vim antes porque o meu servidor resolveu collocar-me a descansar da net, estou desde sexta-feira sem net, só agora voltou a funcional, disseram ao telefone que era em todo o País, e que o telefone também não funcionava, mas esse esteve sempre bom assim como a TV. O meu sevidor nem tem por hábito fazer isto mas desta vez calhou a mim.
Não sei se alguma vez andas-te no comboios da linha do Tua tinham as linhas mais estreitas, tive muita pena quando acabaram com eles aqui a alguns anos.
Boa semana
Beijinho
Arodla


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Figueira da Foz
PORTUGAL




Os meus outros cantinhos
Clique nas duas imagens:
 



  Clique na imagem seguinte
        para ver o vídeo do

    Mar da Figueira da Foz


       Fonte Luminosa
       Figueira da Foz

      
Video: Filipe Freitas



SELO da minha Praia
..... pode levá-lo .....




Músicas



PRAIA da CLARIDADE nasceu em:

30/Janeiro/2005

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags

Hora e Temperatura locais (clique, veja a sua zona)

Click for Coimbra, Portugal Forecast

........ Anjo da Paz ........

Anjo da PAZ

Blogues Amigos



À Beira Mar


A Iluminura


A Magia das Palavras


A Papoila


A Serpente Emplumada


Acerca do Mundo


Amicus Ficaria


Ana Luar


Arodla 2006


As the world turns


Barão da Tróia


Bella Mistura


Bióloga Poetisa


Blog da Berenice


Blog da Dalva


Blog das Trevas


Blogamizade


Blog Blogs SAPO


Boanova


Cantinho da Florinda


Cantinho da TiBéu


Canto da Conchita


Chica Ilhéu - Açores


Chuviscos


Cidália Santos


Competências


Confraria das Bifanas


Continua a Sorrir


Dador de Madula Óssea


Deixa-me !...


Doença de Parkinson


Domínio dos Anjos


Dreamers of the Night


Ecos do Tempo


Escrevinhando com o Coração


Eterna Parte de Mim


Evasões Bárbaras


Ex-Improviso


Fadinha Arodla


Fallen Angel - Marisocas


Fátima Cidade de Acolhimento


Floresta de Lórien


FLP - Aloé Vera


Formas & Meios


Formiguinha Atómica


Gatinhos Voadores


Ideias e Ideais - Terceira


Isis


Janela Aberta


José Lessa


Lua e Estrela


Mar y Sol


Menina Marota


Momentos a Dois


Mudar o Template


Noites do Amanhecer


O Atónito


O Estrelado


O PALHETAS -Figueira da Foz-


O Sal da Nossa Pele


O Sino da Aldeia


O Teu Doce Olhar


Paraquedista


Paredes de Coura


Parkinson Campinas


PAVANN


Por Terras do Rei Wamba


Princesa do Mar


Putoreguila


Quinto Poder


Rumo ao Sul


Sabor Latino


Sabor da Cozinha


Segunda Vida


Sem Imaginação


Sentimentos


Som & Tom


Sombreiro


Terena, vila Alentejana


Uma caracol falante


Virtual Realidade






Utilitários



FIGUEIRA DA FOZ
on-line

O seu browser não suporta flash. Necessita instalar o "plug-in".



Meteorologia




Portal dos Sites