Terça-feira, 6 de Junho de 2006

O Morcego

 
Morcego gigante Corynorhinus Townsendii
 
 
 

Os morcegos, são os únicos animais mamíferos (ordem Chiroptera) capazes de voar. Os morcegos representam um quarto de toda a fauna de mamíferos do mundo, são cerca de mil espécies que possuem uma enorme variedade de formas e tamanhos, podem ter uma envergadura de 5 cm até 2 m. Enorme capacidade de adaptação a qualquer ambiente e ampla variedade de hábitos alimentares, nunca vista em nenhuma outra ordem animal, pois podem alimentar-se de frutas, néctar, pólen, insectos, artrópodes, pequenos vertebrados e peixes. Somente três espécies se alimentam de sangue, ou seja, são morcegos hematófagos. Dessa maneira contribuem substancialmente para o equilíbrio dos ecossistemas, pois actuam como polinizadores, dispersores de sementes e controladores das populações de insectos. Possuem o extraordinário sentido de ecolocalização ou "bio-sonar" ou ainda orientação por ecos, que utilizam para voar por entre obstáculos ou para caçar as suas presas.
 
 
Anatomia
 
O osso do metacarpo e o segundo e quinto dedos dos membros anteriores são alongados, e entre eles existe uma membrana, chamada quiropatágio. A membrana estende-se dos dedos até o lado do corpo e deste este até a base dos membro posteriores. A asa inteira de um morcego é chamada patágio. Muitas espécies têm também uma membrana entre os membros posteriores incluindo a cauda. Esta membrana é o uropatágio.
 
O patágio está cheio de delicados vasos sanguíneos, fibras musculares e nervos. No tempo frio, os morcegos enrolam-se nas suas próprias asas como num casaco. No calor eles expandem-nas para refrescar os seus corpos.
 
O polegar e às vezes o segundo dedo dos membros anteriores têm garras, bem como os cinco dedos dos membros posteriores. As garras traseiras permitem aos morcegos agarrarem-se aos galhos ou saliências. Os morcegos também podem mover-se no chão, mas são bastante desajeitados.
 
Todos os morcegos são activos à noite ou ao crepúsculo, portanto os olhos da maioria das espécies são pouco desenvolvidos. Os seus sentidos de olfacto e audição, no entanto, são excelentes.
 
Os dentes parecem-se com os dos insectívoros. São muito agudos, para morder através da armadura de quitina dos insectos ou da casca das frutas.
 
 
Ecolocalização
 
A maioria dos morcegos possui um sentido adicional, aliado aos cinco a que nós humanos estamos acostumados: a ecolocalização. Este sentido funciona basicamente da seguinte maneira: o morcego emite ondas ultra-sónicas, ou seja, com frequência muito alta, pelas narinas ou pela boca, dependendo da espécie. Essas ondas atingem obstáculos no ambiente e voltam na forma de ecos com frequência menor. Esses ecos são percebidos pelo morcego. Com base no tempo em que os ecos demoraram a voltar, nas direcções de onde vieram e nas direcções de onde nenhum eco veio, os morcegos sentem se há obstáculos no caminho, as distâncias, as formas e as velocidades relativas entre eles, no caso de insectos voadores que servem de alimento, por exemplo. Por isso, esse sentido chama-se ecolocalização, ou seja, orientação por ecos, uma habilidade que eles dividem com os golfinhos e as baleias.
 
Também é ser chamado de “bio-sonar”, pois foi a partir deste sistema que foram desenvolvidos sonares de navios e aparelhos de ultra-sons. Na verdade, nenhuma “imitação humana” se compara à qualidade do sistema natural. Assim, os morcegos contam com um poderosíssimo recurso, muito importante para animais que precisam de se orientar à noite ou em ambientes escuros (como cavernas). A eficiência da ecolocalização varia entre as espécies de morcegos, sendo que os de hábito alimentar insectívoro, ou predadores de insectos em geral, possuem esse sistema mais desenvolvido.
 
 
Reprodução
 
Um morcego recém-nascido agarra-se à pele da mãe e é transportado, embora logo se torne grande demais para isto. Seria difícil para um adulto carregar mais de uma cria, portanto normalmente nasce apenas uma. Os morcegos formam frequentemente colónias-berçário, com muitas fêmeas dando à luz na mesma área, seja uma caverna, um oco de árvore ou uma cavidade numa construção. A gestação dura de 2 a 7 meses, variando conforme a espécie. Em algumas espécies duas glândulas mamárias estão situadas entre o peito e os ombros (axilares), mas também podem ser peitorais ou abdominais.
 
A habilidade de voar é congénita, mas após o nascimento as asas são pequenas demais para voar. Os jovens morcegos da ordem Microchiroptera tornam-se independentes com a idade de 6 a 8 semanas, os da ordem Megachiroptera não antes dos quatro meses. Com a idade de dois anos os morcegos estão sexualmente maduros.
 
A expectativa de vida do morcego vai de 10 a 30 anos, variando muito conforme a espécie.
 
 
Inimigos
 
Os morcegos pequenos são às vezes presas de corujas e falcões. De maneira geral, há poucos animais capazes de caçar um morcego. Na Ásia existe uma ave, um tipo de falcão, que se especializou em caçar morcegos. O gato doméstico é um predador regular em áreas urbanas, pega morcegos que estão entrando ou deixando um abrigo, ou no chão. Raramente os morcegos descem ao chão para se alimentar, pode acontecer devido a acidentes enquanto estão aprendendo a voar, em tempo ruim ou como estratégia de aproximação.
 
Os piores inimigos são só parasitas. As membranas, com os seus vasos sanguíneos, são fontes ideais de alimento para pulgas e carrapatos (carraças). Alguns grupos de insectos sugam apenas sangue de morcego, por exemplo a mosca-de-morcego. Nas suas cavernas os morcegos ficam pendurados muito próximos, portanto é fácil para os parasitas infestar novos hospedeiros.
 
 
Transmissor da raiva
 
Ainda que o perigo se resuma aos locais onde a raiva é endémica, dos poucos casos de raiva relatados anualmente, a maioria é causada por mordidas de morcegos. Embora a maioria dos morcegos não tenha raiva, os que têm podem ficar pesados, desorientados, incapazes de voar, o que torna mais provável que entrem em contacto com seres humanos. Outras mudanças no comportamento do morcego contaminado são actividade alimentar diurna, hiperexcitabilidade, agressividade, tremores, falta de coordenação dos movimentos, contracções musculares e paralisia, seguida de óbito.
 
Embora não se deva ter um medo desmesurado de morcegos, deve-se evitar manipulá-los ou tê-los no lugar onde se vive, tal como acontece com qualquer animal selvagem. Nas regiões onde exista endemia de raiva, se um morcego for encontrado num quarto onde se encontrem crianças, pessoas mentalmente incapacitadas, intoxicadas ou dormindo, ou junto de um animal de estimação, a pessoa ou o animal devem receber imediatamente cuidados médicos para raiva. Os morcegos têm dentes muito pequenos e podem morder uma pessoa adormecida sem que sejam sentidos.
 
Se um morcego for encontrado numa casa e não se puder excluir a possibilidade de exposição, o morcego deve ser capturado e imediatamente encaminhado para um centro local de controle de moléstia para ser observado. Isto também se aplica se o morcego for encontrado morto. Se for certo que ninguém foi exposto ao morcego, ele deve ser retirado da casa. A melhor forma de fazê-lo é fechar todas as portas e janelas, excepto uma para o exterior. O morcego sairá logo.
 
Devido ao risco de raiva e também a problemas de saúde relacionados com as suas fezes, que podem conter, entre outros, os fungos causadores da histoplasmose, os morcegos devem ser retirados das partes habitadas das casas. O site do Centro de Controle de Doenças dos EUA contém informações detalhadas sobre como manejar e capturar um morcego e sobre a manutenção de uma casa para impedir que os morcegos nela se instalem.
 
Nos locais onde a raiva não é endémica, como na maior parte da Europa ocidental, pequenos morcegos podem ser considerados inofensivos. Morcegos grandes podem dar uma mordida desagradável. Trate-os com o respeito devido a qualquer animal silvestre.
 
No Brasil, estão a ser registados no Mato Grosso e em Minas Gerais surtos de raiva transmitida por morcegos hematófagos. Estes surtos são consequência da intensa acção antrópica, que cada vez mais vem tirando os alimentos (por exemplo, aves) e destruindo o habitat natural dos morcegos para a construção de casas e loteamentos. As populações, ao estabelecerem-se na rota de migração dos morcegos, acabam por contrair a doença, que também afecta o gado.
 
 
Aspectos culturais
 
O morcego é sagrado em Tonga, África Ocidental e Bósnia, e frequentemente é considerado a manifestação física de uma alma separada. Os morcegos estão intimamente relacionados com os vampiros, que se diz serem capazes de se metamorfosear em morcegos ou lobos. São também um símbolo de fantasmas, morte e doença. Entre alguns nativos americanos, como os Creeks, Cherokees e Apaches, o morcego é um espírito embusteiro. A tradição chinesa afirma que o morcego é um símbolo de longevidade e felicidade, bem como na Polónia, na região da Macedónia e entre os Árabes e Kwakiutls.
 
Na cultura ocidental o morcego é frequentemente associado à noite e à sua natureza proibida. É um dos animais básicos associados com os caracteres ficcionais da noite, tanto vilões como Drácula, quanto heróis como Batman.
 
No Reino Unido todos os morcegos estão protegidos pelos Decretos da Vida Silvestre e Zona Rural (Wildlife and Countryside Acts), e mesmo perturbar um morcego ou seu ninho pode ser punido com pesada multa.
 
 
Classificação
 
Há duas sub-ordens de morcegos:

1. Megachiroptera, morcegos frugívoros
2. Microchiroptera, morcegos insectívoros
 
Os Megachiroptera são encontrados na África, Oceânia e Ásia. É nessa sub-ordem que se encontram os maiores morcegos do mundo, chamados também de "raposas voadoras", chegando a 2 metros de envergadura e comem frutas. A sub-ordem Microchiroptera contém os mais variados hábitos alimentares, comendo desde frutas (frugívoros) até peixes (piscívoro), e com frequência dependem da ecolocalização para navegação e para encontrar presas. Três espécies se destacam por terem desenvolvido um hábito alimentar por sangue, os hematófagos. (Desmodus rotundus, Diphylla ecaudata e Diaemus youngii).
 
Acreditava-se que as duas sub-ordens se tinham desenvolvido de forma independente, e que suas características semelhantes eram o resultado de evolução convergente. Mas análises genéticas mostraram que os dois grupos têm um ancestral voador comum.
 
Sabe-se pouco sobre a evolução dos morcegos, já que os seus esqueletos pequenos e delicados não fossilizam bem. Os morcegos fósseis mais antigos encontrados são o Icaronyctens, Archaeonyctnes, Palaeochropteryx e Hassianycteris do Eoceno inferior (cerca de 50 milhões de anos atrás), mas eles já eram muito semelhantes aos Microchiroptera modernos.
 
 
Desenho de esqueleto de morcego
 Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Temas:
Publicado por: Praia da Claridade às 00:00
Link do post | comentar
8 comentários:
De isa&luis a 6 de Junho de 2006 às 00:26
Olá menino,
sempre interessantes os teus posts.

Obrigada pela partilha.

O ditado é velho, saber não ocupa lugar.

beijos

Isa


De Paola Vannucci a 6 de Junho de 2006 às 04:32
Tenho medo de morcegos,
prefiro ficar com a história aí de baixo, rsrsrssrsrsrsrsrsrs

bjssssssssss
meu querido FREITAS HAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAAHAHAH


De Joaquim Baptista a 6 de Junho de 2006 às 15:05
Gosto muito deste seu Blog. Os temas são interessantes. Muito aprendi sobre morcegos. Quando era pequeno costumava ir caçar morcegos à noite utilizando uma longa e fina cana e abatia-os em pleno voo. Coisas de crianças...


De soaresesilva a 6 de Junho de 2006 às 19:36
Tudo o que eu posso dizer sobre os morcegos é que são uns animais medonhos!!!!!


De Marco a 5 de Abril de 2008 às 18:32
Boa tarde. Por acaso não conhece nenhum livro que fale só sobre morcegos, tipo enciclopédia. já procurei em vários lados e nada. Obrigado


De Praia da Claridade a 6 de Abril de 2008 às 01:28
Agradeço a visita e este meu blog.
Suponho que há o livro "Morcegos Libertinos Borboletas Nocturnas".
Talvez se encontre mais algum no Google ou pedindo informação directa a uma livraria.


De patie a 16 de Julho de 2008 às 20:28
EU AMO MORCEGOS!
SÃO LINDOS! SÃO FOFOS! BOM, NA VDD EU AMO TODOS OS BICHOS...
MAS vou tatuar o desenho de um morceguinho na clavícula!
depois de ler o post passei a gostar mais ainda deles2


De Praia da Claridade a 15 de Agosto de 2008 às 17:19
Agradeço a visita e o comentário a este blog.


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Figueira da Foz
PORTUGAL




Os meus outros cantinhos
Clique nas duas imagens:
 



  Clique na imagem seguinte
        para ver o vídeo do

    Mar da Figueira da Foz


       Fonte Luminosa
       Figueira da Foz

      
Video: Filipe Freitas



SELO da minha Praia
..... pode levá-lo .....




Músicas



PRAIA da CLARIDADE nasceu em:

30/Janeiro/2005

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags

Hora e Temperatura locais (clique, veja a sua zona)

Click for Coimbra, Portugal Forecast

........ Anjo da Paz ........

Anjo da PAZ

Blogues Amigos



À Beira Mar


A Iluminura


A Magia das Palavras


A Papoila


A Serpente Emplumada


Acerca do Mundo


Amicus Ficaria


Ana Luar


Arodla 2006


As the world turns


Barão da Tróia


Bella Mistura


Bióloga Poetisa


Blog da Berenice


Blog da Dalva


Blog das Trevas


Blogamizade


Blog Blogs SAPO


Boanova


Cantinho da Florinda


Cantinho da TiBéu


Canto da Conchita


Chica Ilhéu - Açores


Chuviscos


Cidália Santos


Competências


Confraria das Bifanas


Continua a Sorrir


Dador de Madula Óssea


Deixa-me !...


Doença de Parkinson


Domínio dos Anjos


Dreamers of the Night


Ecos do Tempo


Escrevinhando com o Coração


Eterna Parte de Mim


Evasões Bárbaras


Ex-Improviso


Fadinha Arodla


Fallen Angel - Marisocas


Fátima Cidade de Acolhimento


Floresta de Lórien


FLP - Aloé Vera


Formas & Meios


Formiguinha Atómica


Gatinhos Voadores


Ideias e Ideais - Terceira


Isis


Janela Aberta


José Lessa


Lua e Estrela


Mar y Sol


Menina Marota


Momentos a Dois


Mudar o Template


Noites do Amanhecer


O Atónito


O Estrelado


O PALHETAS -Figueira da Foz-


O Sal da Nossa Pele


O Sino da Aldeia


O Teu Doce Olhar


Paraquedista


Paredes de Coura


Parkinson Campinas


PAVANN


Por Terras do Rei Wamba


Princesa do Mar


Putoreguila


Quinto Poder


Rumo ao Sul


Sabor Latino


Sabor da Cozinha


Segunda Vida


Sem Imaginação


Sentimentos


Som & Tom


Sombreiro


Terena, vila Alentejana


Uma caracol falante


Virtual Realidade






Utilitários



FIGUEIRA DA FOZ
on-line

O seu browser não suporta flash. Necessita instalar o "plug-in".



Meteorologia




Portal dos Sites