Segunda-feira, 3 de Abril de 2006

Aristides de Sousa Mendes



Aristides de Sousa Mendes


Aristides de Sousa Mendes, de seu nome completo Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches (19 de Julho de 1885 - 3 de Abril de 1954) foi um diplomata português. Ele recusou seguir as ordens do seu governo (o regime de Salazar) e concedeu vistos a refugiados de todas as nacionalidades que desejavam fugir da França em 1940, ano da invasão da França pela Alemanha Nazi na Segunda Guerra Mundial. Aristides salvou dezenas de milhares de pessoas do Holocausto.
 
Antes de 1940
 
Aristides nasceu em Cabanas de Viriato, pequena vila do distrito de Viseu. Pertenceu a uma família aristocrática com terras, católica, conservadora e monárquica. O seu pai era membro do Supremo Tribunal.
 
Aristides instala-se em Lisboa em 1907 após a Licenciatura em Direito pela Universidade de Coimbra, tal como o seu irmão gémeo. Ambos enveredaram pela carreira diplomática; Aristides ocupará deste modo diversas delegações consulares portuguesas pelo mundo fora: Zanzibar, Brasil, Estados Unidos da América. Em 1929 é nomeado Cônsul-geral em Antuérpia, cargo que ocupa até 1938. O seu empenho na promoção da imagem de Portugal não passa despercebido. É condecorado por duas vezes por Leopoldo III, rei da Bélgica, tendo-o feito oficial da Ordem de Leopoldo e comendador da Ordem da Coroa, a mais alta condecoração belga. Depois de quase 10 anos de serviço na Bélgica, Salazar, presidente do Conselho e ministro dos negócios estrangeiros, nomeia Sousa Mendes cônsul em Bordéus, França.
 
Em 1940, com 55 anos, ele aproxima-se do fim da sua carreira e é pai de 14 filhos. Politicamente nunca se fez notar.
 
A Segunda Guerra Mundial
 
Aristides de Sousa Mendes permanece ainda cônsul de Bordéus quando tem início a Segunda Guerra Mundial, e as tropas de Adolf Hitler avançam rapidamente sobre a França. Salazar manteve a neutralidade de Portugal.
 
Pela Circular 14, Salazar ordena aos cônsules portugueses espalhados pelo mundo que recusem conferir vistos às seguintes categorias de pessoas: "estrangeiros de nacionalidade indefinida, contestada ou em litígio; os apátridas; os Judeus, quer tenham sido expulsos do seu país de origem ou do país de onde são cidadãos".
 
[ Em Novembro de 1939, o Ministério emitiu a circular 14, que autorizava só aos diplomatas de carreira a concessão de vistos e que os obrigava a consultar a PVDE e o MNE antes de visarem os passaportes de apátridas e russos, dos judeus expulsos dos seus países e de pessoas sem visto dos países de destino e sem garantia de embarque para sair de Portugal. As ordens recebidas do seu próprio Governo impediam Aristides de Sousa Mendes de passar vistos à maior parte dos refugiados, nomeadamente judeus, exilados políticos e cidadãos provenientes de países do Leste Europeu, sob pena de vir a ser castigado.]
 
Entretanto, em 1940, o governo francês refugiou-se temporariamente na cidade, fugindo de Paris antes da chegada das tropas alemãs. Dezenas de milhar de refugiados que fogem do avanço Nazi dirigiram-se a Bordéus. Muitos deles afluem ao consulado português desejando obter um visto de entrada para Portugal ou para os Estados Unidos, onde Sousa Mendes, o cônsul, caso seguisse as instruções do seu governo distribuiria vistos com parcimónia.
 
Já no final de 1939, Sousa Mendes tinha desobedecido às instruções do seu governo e emitido alguns vistos. Entre as pessoas que ele tinha então decidido ajudar encontra-se o Rabino de Antuérpia Jacob Kruger, que lhe faz compreender que há que salvar os refugiados judeus.
 
A 16 de Junho de 1940, Aristides decide entregar um visto a todos os refugiados que o pedirem: "A partir de agora, eu darei vistos a toda a gente, já não há nacionalidades, raça ou religião". Com a ajuda das suas crianças e sobrinhos e do rabino Kruger, ele carimba passaportes, assina vistos, usando todas as folhas de papel disponíveis.
 
Confrontado com os primeiros avisos de Lisboa, ele terá dito: "se há que desobedecer, prefiro que o seja a uma ordem dos homens do que a uma ordem de Deus".
 
Uma vez que Salazar tomara medidas contra o cônsul, Aristides continuou a sua actividade de 20 a 23 de Junho em Bayonne, no escritório de um vice-cônsul estupefacto, e mesmo na presença de dois outros funcionários de Salazar. A 22 de Junho de 1940, a França pediu um armistício à Alemanha Nazi. Mesmo a caminho de Hendaye, Aristides continua a emitir vistos para os refugiados que cruzam com ele a caminho da fronteira, uma vez que a 23 de Junho, Salazar o demitira das suas funções de cônsul.
 
Apesar se terem sido enviado funcionários para trazer Aristides, este lidera com a sua viatura uma coluna de veículos de refugiados e guia-os em direcção à fronteira, onde do lado espanhol não existe qualquer telefone. Por isso mesmo, os guardas fronteiriços não tinham sido ainda avisados da decisão de Madrid de fechar as fronteiras com a França. Sousa Mendes impressiona os guardas aduaneiros, que acabariam por deixar passar todos os refugiados, que com os seus vistos puderam continuar viagem até Portugal.
 
O seu castigo no Portugal de Salazar
 
A 8 de Julho de 1940, Aristides encontra-se regressado a Portugal. Será punido pelo governo de Salazar: ele priva Sousa Mendes, pai de uma família numerosa, do seu emprego diplomático por um ano, diminui em metade o seu salário, antes de o enviar para a reforma. Para além disso, Sousa Mendes perde o direito de exercer a profissão de advogado. A sua licença de condução, emitida no estrangeiro, é-lhe retirada.
 
O cônsul demitido e sua família sobrevivem graças à solidariedade da comunidade judaica de Lisboa, que facilitou a alguns dos seus filhos os estudos nos Estados Unidos. Dois dos seus filhos participaram no Desembarque da Normandia.
 
Ele frequentou, juntamente com os seus familiares a cantina da assistência judaica internacional, onde fez impressão pelas suas ricas vestimentas e sua presença. Certo dia, teve de confirmar: "Nós também, nós somos refugiados".
 
Em 1945, Salazar felicitou-se por Portugal ter ajudados os refugiados, recusou-se no entanto a reintegrar Sousa Mendes no corpo diplomático.
 
A sua miséria será ainda maior: venda dos bens, morte de sua esposa em 1948, emigração dos seus filhos, com uma excepção.
 
Aristides de Sousa Mendes faleceu muito pobre a 3 de Abril de 1954 no hospital dos franciscanos em Lisboa. Não possuindo um fato próprio, foi enterrado numa túnica de franciscanos.
 
As pessoas salvas por Aristides
 
Cerca de 30.000 vistos foram emitidos pelo cônsul Sousa Mendes, dos quais 10.000 a refugiados de confissão judaica.
 
Entre aqueles que obtiveram um visto do cônsul português contam-se:
 
Políticos:
 
> Otto de Habsburgo, filho de Carlos, o último imperador da Áustria-Hungria; o príncipe Otto era detestado por Adolf Hitler. Ele escapou com a sua família desde o exílio belga e dirigiu-se aos Estados Unidos onde participou numa campanha para alertar a opinião pública.
 
> Vários ministros do governo belga no exílio.
 
 
Artistas:
 
> Norbert Gingold, pianista.
 
> Charles Oulmont, escritor francês e professor na Universidade de Sorbonne.
 
 
Reconhecimento
 
Em 1966, o Memorial de Yad Vashem (Memorial do Holocausto situado em Jerusalém) em Israel, presta-lhe homenagem atribuindo-lhe o título de "Justo entre as nações".
 
Em 1987, a República de Portugal inicia o processo de reabilitação de Aristides de Sousa Mendes: ele é condecorado com a Ordem da Liberdade e a sua família recebe as desculpas públicas.
 
Em 1994, o presidente português Mário Soares descerra um busto homenageando o cônsul em Bordéus, bem como uma placa comemorativa na Rua 14 quai Louis-XVIII, o endereço do consulado de Portugal em Bordéus em 1940.
 
Em 1998, 23 anos após a morte de Salazar a República Portuguesa reabilitou oficialmente a memória de Aristides de Sousa Mendes, e condecora-o com a Cruz de Mérito a título póstumo pelas suas acções em Bordéus.
 
Aristides de Sousa Mendes não foi o único funcionário a quem o seu país não perdoou a desobediência apesar dos seus actos de justiça e humanidade na Segunda Guerra Mundial.
 
Entre outros casos conhecidos de figuras que se destacaram pela coragem e humanismo incluem-se o cônsul japonês em Kaunas (Lituânia) Chiune Sugihara e Paul Grüninger, chefe da polícia do cantão suíço de Sankt-Gallen.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

sinto-me:
Publicado por: Praia da Claridade às 00:04
Link do post | comentar
9 comentários:
De cisal a 3 de Abril de 2006 às 10:07
Não morreu pobre, porque ele carregava em si a sorte de ter conhecido e podido demonstrar toda a sua força coragem conficção em ser - humano, não morre pobre! talvez, de matéria mas nunca de realização pessoal.


De Sindarin a 3 de Abril de 2006 às 10:38
olá Filipe! De todos os teus posts o mais importante sem dúvida será este (qto a mim) porque se trata dum caso de justiça. Homens como este engrandecem a nossa história e mostram que o ser humano tem uma riqueza interior e integridade k ninguém é capaz de comprar. Para a sua família e para a sua memória deveria ser admirado juntamente com bustos importantes da nossa história e mta gente nunca ouviu falar dele. É triste! Foi um exemplo de amor ao próximo e de abnegação. Graças a ele muitas famílias escaparam ao horror de Hitler e seus algozes. Que seja para sempre lembrado e com todas as honras a k tem direito. Viva Aristides de Sousa Mendes! Agora e sempre. Boa semana.Bjs


De soaresesilva a 3 de Abril de 2006 às 12:56
Foi um homem extraordinário! Acima das ordens oficiais pôs a sua consciência de cidadão e humanista! Decisões difíceis de tomar quando não se tem a coragem de desobedecer a ordens injustas.


De Martuxa a 3 de Abril de 2006 às 14:56
Ainda bem que existem pessoas assim =)
Sorrisos com beijos


De mariaelisaramos@sapo.pt a 3 de Abril de 2006 às 17:52
Olá Amigo Filipe!como sempre interventivo,falar de" Aristides Sousa Mendes"Homem de H ...grande convicção e de poder,de um grande coração,pois os regimes,totalitários e Ditaduras,fazem isto ás pessoas de bem,e este é um caso gritante,por isso é justo fazemrem-se Homenagems a Homems de este valor,pois além de salvar vidas do terror do Holocasto,e do terror Nazi,por isso ele pensou com a sua consciência e coração e não,com o pensar de um Ditador,como Salazar!..bem aja pela desobediência e por o espírito de caracter Humano.
Filipe uma boa semana e um beijinho.
Maria Elisa


De Ana Luar a 3 de Abril de 2006 às 19:08
Um homem que se borrifou literalmente para o Salazarismo e decidiu seguir a sua consciência moral será sempre digno da minha admiração.... Bem haja on de quer que esteja neste momento Senhor Aristides de Sousa Mendes...tenho novo endereço...se quiseres mudar o link. deixo um beijo e um abraço eterno


De eternapartedemim a 3 de Abril de 2006 às 21:30
Grande Homem!

Beijo para ti. Boa semana. *****

Lu Costa


De arodla2006 a 9 de Julho de 2006 às 11:26
Olá na verdade temos praças de Lisboa com figuras históricas que não fizeram tanto pelos outros, como fez Aristides Sousa, arriscou a sua vida.
Beijinho
Aldora


De Joaquim Baptista a 11 de Julho de 2006 às 12:15
Mais um post admiravel , assim como admiravel foi a figura de Aristides de Sousa Mendes. O facto de ser enterrado com o hábito (não sei se se escreve assim) franciscano é de uma humildade digna. Mas como ASM não era nenhum fadista ilustre nunca terá lugar no panteão nacional, lugar esse que ele ganhou, ao justamente envergonhar a nação portuguesa com o seu humanismo e bondade.


Comentar Artigo

FILIPE FREITAS

Pesquisar neste blog

 

Figueira da Foz
PORTUGAL




Os meus outros cantinhos
Clique nas duas imagens:
 



  Clique na imagem seguinte
        para ver o vídeo do

    Mar da Figueira da Foz


       Fonte Luminosa
       Figueira da Foz

      
Video: Filipe Freitas



SELO da minha Praia
..... pode levá-lo .....




Músicas



PRAIA da CLARIDADE nasceu em:

30/Janeiro/2005

Os 50 Artigos mais Recentes

Batalha da Roliça

Revolução dos Cravos

Massacre de Lisboa de 150...

O Alasca foi vendido

Páscoa: este ano é muito ...

Feliz Dia de São Valentim...

Padre António Vieira

Centenário do Regicídio d...

Descoberta da Vacina

Daguerreótipo

Feliz Ano de 2008 !

Lua Azul

Fossa das Marianas

Flor-do-Natal

Calçada da Fama

Beatriz Costa

Frank Sinatra

Tubarão-touro

Miguel de Vasconcelos

Restauração da Independên...

Egas Moniz

Maiores campos de gelo e ...

Tumba de Herodes

A Bela Adormecida na Figu...

Bola de ténis

Qual a cidade mais fria d...

Tautologia

O maior grupo de lagos de...

Macaronésia

Chuva de estrelas

Erupções vulcânicas

Lenda de São Martinho

Mário Viegas

Muro de Berlim

Libelinha

Castanhas

Falha de Santo André

Quinze anos ao telemóvel

Fotografia Aérea com Papa...

Chuva de animais

Pseudo-fruto

Elevador da Glória

1.º avião do mundo

Maçã

Funicular

Amistad

Turbante

O primeiro satélite artif...

José Hermano Saraiva

Masseiras

Arquivos Mensais

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Temas

acidentes

açores

actores

alimentação

ambiente

animais

arquitectura

artes

astrologia

astronáutica

astronomia

aves

aviação

brasil

cantinhos de portugal

cantores

capitais

ciências ocultas

civilizações

crustáceos

culinária

curiosidades

desportos

electrónica

energia

fenómenos

festividades

figueira da foz

filosofia

geografia

guerra

história de portugal

história mundial

humor

informática

insectos

lazer

lisboa

literatura

locais sagrados

madeira

máquinas

mar

medicina

medicina natural

mistérios

monumentos

música

natureza

oceanos

palácios

peixes

pensamentos

pessoas célebres

poemas

poetas

religião

relíquias

rios

saúde

superstições

tecnologias

tradições

transportes

turismo

união europeia

todas as tags

Hora e Temperatura locais (clique, veja a sua zona)

Click for Coimbra, Portugal Forecast

........ Anjo da Paz ........

Anjo da PAZ

Blogues Amigos



À Beira Mar


A Iluminura


A Magia das Palavras


A Papoila


A Serpente Emplumada


Acerca do Mundo


Amicus Ficaria


Ana Luar


Arodla 2006


As the world turns


Barão da Tróia


Bella Mistura


Bióloga Poetisa


Blog da Berenice


Blog da Dalva


Blog das Trevas


Blogamizade


Blog Blogs SAPO


Boanova


Cantinho da Florinda


Cantinho da TiBéu


Canto da Conchita


Chica Ilhéu - Açores


Chuviscos


Cidália Santos


Competências


Confraria das Bifanas


Continua a Sorrir


Dador de Madula Óssea


Deixa-me !...


Doença de Parkinson


Domínio dos Anjos


Dreamers of the Night


Ecos do Tempo


Escrevinhando com o Coração


Eterna Parte de Mim


Evasões Bárbaras


Ex-Improviso


Fadinha Arodla


Fallen Angel - Marisocas


Fátima Cidade de Acolhimento


Floresta de Lórien


FLP - Aloé Vera


Formas & Meios


Formiguinha Atómica


Gatinhos Voadores


Ideias e Ideais - Terceira


Isis


Janela Aberta


José Lessa


Lua e Estrela


Mar y Sol


Menina Marota


Momentos a Dois


Mudar o Template


Noites do Amanhecer


O Atónito


O Estrelado


O PALHETAS -Figueira da Foz-


O Sal da Nossa Pele


O Sino da Aldeia


O Teu Doce Olhar


Paraquedista


Paredes de Coura


Parkinson Campinas


PAVANN


Por Terras do Rei Wamba


Princesa do Mar


Putoreguila


Quinto Poder


Rumo ao Sul


Sabor Latino


Sabor da Cozinha


Segunda Vida


Sem Imaginação


Sentimentos


Som & Tom


Sombreiro


Terena, vila Alentejana


Uma caracol falante


Virtual Realidade






Utilitários



FIGUEIRA DA FOZ
on-line

O seu browser não suporta flash. Necessita instalar o "plug-in".



Meteorologia




Portal dos Sites